Contato

Corona Vírus

Isolamento faz aumentar o número de pessoas com sofrimento psíquico

Uma pesquisa realizada pela Coordenação Estadual de Saúde Mental da Secretaria da Saúde (SES) apontou aumento da busca por atendimento em saúde mental nos postos de saúde e nos serviços da atenção especializada desde o início da pandemia de coronavírus.

A pesquisa foi respondida por gestores de 402 municípios gaúchos. Nos serviços da Atenção Básica (como nas Unidades Básicas e Estratégia Saúde da Família), 78% gestores municipais perceberam um aumento na demanda desta natureza. Nos serviços da atenção especializada (Centros de Atenção Psicossocial), esse aumento foi relatado por 68% dos gestores.

Entre os principais sintomas de saúde mental que estão fazendo as pessoas procurarem mais os serviços de saúde estão ansiedade, nervosismo ou tensão, perturbação de sono e uso abusivo de álcool ou medicamentos e outras drogas. “Durante uma pandemia, é normal a exacerbação de emoções e sentimentos. Essa situação implica em uma perturbação psicossocial que pode afetar toda a população, em diferentes níveis de intensidade e gravidade”, explica a coordenadora da Saúde Mental, Marilise Souza.

A especialista diz que não há uma forma de “medir” as emoções, para saber se os próprios sintomas ou os de alguém próximo podem ser considerados dentro do “normal” para as atuais circunstâncias ou se está na hora de procurar ajuda profissional. “Isso é muito subjetivo. O que se deve questionar é o quanto essas perturbações estão atrapalhando no seu dia a dia”, completa a coordenadora.

As taxas de internação hospitalar por transtornos mentais e comportamentais, no entanto, não tiveram aumento durante o primeiro quadrimestre deste ano em relação ao ano passado (foram 9.919 internações entre os meses de janeiro e abril de 2020 e 10.896 internações no mesmo período de 2019).

Para preparar os municípios para o enfrentamento dos eventuais desdobramentos em saúde mental decorrentes da pandemia, a SES recomenda aos gestores municipais a elaboração de Planos Municipais de Cuidados em Saúde Mental e Apoio Psicossocial. As diretrizes do que deve conter nos planos estão disponíveis no site do Coronavírus da SES junto ao Plano de Contingência Estadual.

Apoio remoto
Quem precisa de apoio profissional pode fazer um atendimento online gratuito pelo Projeto ReviraSaúde, da Secretaria da Saúde em parceria com outras instituições e universidades. Os profissionais cadastrados são de diversas áreas da saúde e disponibilizam atendimento por telefone, whatsapp, skype, facebook ou outro contato on-line.

Cuidados com saúde mental
Veja algumas dicas da SES e da organização Mundial da Saúde (OMS) para manter a mente saudável durante o isolamento social:

– Procure manter as rotinas de sono, faça exercícios físicos e tenha uma alimentação saudável.

– Cuidar dos outros também faz bem. A solidariedade faz bem para quem a recebe e também para a saúde mental de quem a faz.

– Não se exponha tanto às informações ao longo do dia. Procure fontes fidedignas e em alguns horários específicos. É importante se manter informado, mas o excesso pode causar ansiedade ou estresse.

– Evite o uso de tabaco, álcool e outras drogas.

– Mantenha o contato virtual com familiares e amigos frequentemente.

– Esteja alerta aos sinais de estresse e raiva nas crianças e idosos que estão sob nossa tutela. Explicar a essas pessoas a importância de se proteger e tentar acalmá-los.

– Ajude as crianças a se expressarem, com atividades criativas e lúdicas.

– Para os profissionais de saúde, não é porque está passando por um momento de maior ansiedade que você seja incapaz de realizar seu trabalho ou que seja uma pessoa fraca. É indispensável fazer pausas entre os turnos, e mesmo durante o turno de trabalho.

– Buscar o sistema de saúde quando for realmente necessário.

Ouça o Podcast Saúde e Você sobre saúde mental.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Corona Vírus

Caiu o número drasticamente o número de infectados nesta quinta-feira

Nesta quarta-feira, 28, foram registrados 6 casos positivos de Covid-19. São 3 mulheres e 3 homens, com idades entre 22 e 87 anos, 5 estão em isolamento domiciliar e um hospitalizado. Um paciente recebeu alta hospitalar e passou para o isolamento domiciliar.
São 934 casos confirmados, com 720 recuperados, 197 ativos (191 em isolamento domiciliar e 06 hospitalizados positivos de Alegrete) e 17 óbitos.
Foram realizados 8.149 testes, sendo 7.182 negativos, 934 positivos e 33 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 417 pessoas.
Continue lendo

Corona Vírus

MP faz buscas na Prefeitura de Uruguaiana. Há suspeita de compra superfaturada de álcool

 

 

O Ministério Público realiza operação nesta quarta-feira, 28 de outubro, para apurar eventual prática de preço abusivo e outras infrações cometidas contra o poder público de Uruguaiana durante a pandemia de Covid-19. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Núcleo Saúde) e a Promotoria local, com apoio da Força Tática de Uruguaiana e Canoas e do 2° BPChoque de Santa Maria, cumpriram seis mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Uruguaiana e em endereços residenciais e comerciais de Canoas, Santa Maria e de Uruguaiana. Os alvos são um secretário municipal de Uruguaiana, uma diretora da Prefeitura e dois empresários.

 

A investigação feita pelo Gaeco – Núcleo Saúde, em parceria com Núcleo de Inteligência (Nimp) e com o Laboratório de Dados e Inovação (MP Labs), todos do MPRS, utilizando a ferramenta analítica NFScan Covid Gaeco 2.0, aponta que uma distribuidora de insumos laboratoriais sediada em Canoas vendeu para a Prefeitura de Uruguaiana 1.283 galões de cinco litros de álcool em gel 70% pelo valor unitário de R$ 150,00, totalizando uma negociação de R$192.450,00 entre os meses de março e julho deste ano.

 

 

Comparando com valor médio de mercado – indicador mais alto entre os parâmetros utilizados e, portanto, mais favorável à empresa – de R$ 79,73 por unidade na época, os promotores identificaram sobrepreço de 88,1%, percentual que causou prejuízo aos cofres públicos de R$ 90.154,59 no período.

 

O Ministério Público apurou, ainda, que o valor unitário firmado com Uruguaiana durante a pandemia de Covid-19 é superior a contratos assinados com outros municípios gaúchos, como Lajeado (R$ 90) e Júlio de Castilhos (R$100), por exemplo.

 

Também não há comprovação fiscal de que a empresa – mera distribuidora – tenha feito aquisição do produto para posterior revenda, além de a contratação ter sido feita com dispensa indevida de licitação. “Diante da sensível ausência de transparência nas compras públicas em foco, pois não disponibilizados em meios abertos, especialmente em site oficial do ente público, dados minimamente suficientes acerca da contratação da empresa pelo Município de Uruguaiana, há sérios indicativos tanto de que os requisitos formais para a aquisição sem licitação não foram observados quanto de que a justificativa apresentada para a dispensa não se afigura idônea”, pontuou o promotor de Justiça e coordenador do Gaeco – Núcleo Saúde, João Afonso Silva Beltrame.

 

“Pela apuração feita até aqui, há possibilidade de prática de infrações à economia popular, à ordem tributária e econômica, bem como à legislação Consumeirista e de Licitações, existindo indícios da prática de ilícitos penais”, complementou o promotor de Justiça do Gaeco, Marcelo Dossena Lopes dos Santos. Para o subprocurador-geral de Justiça de Gestão Estratégica, Sergio Harris, o trabalho realizado representa uma referência na nova forma de trabalhar do Ministério Público adequando-se às possibilidades tecnológicas existentes.

 

Acompanhou a operação, o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Marcelo Lemos Dornelles. Para ele, esta é mais uma atuação do Gaeco – Núcleo Saúde que busca coibir eventuais desvios de valores na saúde destinados ao combate à pandemia de Covid-19. “Demonstra comprometimento do Ministério Público como a defesa da sociedade e com o combate à corrupção”, disse.

Continue lendo

Corona Vírus

Confira os números oficiais desta segunda-feira

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Nesta segunda-feira, 26, foram registrados 16 casos positivos de Covid-19 e 17 pacientes recuperados. Os positivos são 11 mulheres, 4 homens e uma criança, com idades entre 3 e 73 anos, todos estão em isolamento domiciliar.

São 893 casos confirmados, com 709 recuperados, 167 ativos (161 em isolamento domiciliar e 06 hospitalizados) e 17 óbitos.

Foram realizados 8.037 testes, sendo 7.100 negativos, 893 positivos e 44 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 404 pessoas.

Já no Boletim da Santa Casa de Caridade tem a confirmação de cinco pacientes de Alegrete na Covid-19.

 

Continue lendo

Popular