Contato

Educação

Reunião nesta manhã vai definir possível Escola Cívico Militar de Alegrete

Nesta manhã acontece na Secretaria de Educação uma importante reunião com o corpo pedagógico da Secretaria com membros das escolas que participaram da consulta sobre Escolas Cívico Militares. A escolha aconteceu na última terça-feira e os dados devem ser tabulados hoje e a escola que obtiver o melhor índice será cadastrada até esta sexta-feira.

Segundo a Secretária Márcia Dornelles, foi tudo muito rápido. Na quinta-feira passada foi lançada a proposta para a regulamentação da consulta, com prazos bem definidos. Apesar de ter sido feriado na sexta-feira passada a Secretária se reunião com a direção de escolas que se enquadravam em no mínimo dois critérios estabelecidos pelo MEC e Ministério da Defesa.

IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e número de estudantes, por exemplo, compõem tais critérios entre outros. Assim, na sexta-feira os diretores das escolas Villaverde Moura, Saint Pastous, Luísa de Freitas Valle, Marcelo Faraco, Honório Lemes e Waldemar Borges, confirmaram o interesse e segunda-feira passaram a avisar as suas comunidades sobre a votação que aconteceu na terça.

Escolas como Fernando Ferrari e Lions Club ficaram de fora por terem alunos com bom IDEB. Portanto, a reunião de hoje é para indicar a escola de Alegrete que quer se habilitar junto ao Governo Federal para assumir este projeto. No Brasil serão 216, segundo a meta do Governo Federal.


As escolas Cívico Militares terão um currículo e uma base pedagógica baseada nas escolas militares, com apoio de oficiais da reserva, mas com o trabalho efetivado pelos professores da rede pública. “Este aporte de recursos em comunidades com vulnerabilidade social é bem vinda”, destaca a professora Márcia Dornelles.

 

Ela entende que haverá treinamentos e incentivos para professores, já que os militares darão apoio.

 

Imagens cedidas pela direçao da escola Villaverde Moura no registro da votaçao.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Educação

Em decisão inédita, Conselho Superior da DPE/RS aumenta para 30% o percentual de reservas de vagas para cotistas

Porto Alegre (RS) – Pela primeira vez na história da Instituição, o Conselho Superior da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul aumentou de 20% para 30% o percentual de reserva de vagas para candidatos cotistas (negros e índios).

A medida já passa a valer para o próximo concurso de defensores(as) públicos(as), que será aberto nos próximos meses. A decisão do Conselho foi tomada durante sessão ocorrida na última quinta-feira (24).

No encontro, os Conselheiros também decidiram pela exclusão do ponto de corte para cotistas em todas as fases do concurso para carreira.

Foi aprovada ainda a redução da nota mínima de aprovação para classificação na segunda fase do certamente, já que, historicamente nos concursos públicos, é na primeira prova que ocorre o maior parte da reprovação.

O conselho definiu ainda pela exclusão, em todas as fases, da limitação de número de aprovados para os candidatos que concorrerem às vagas destinadas às pessoas com deficiência, aos negros e aos indígenas. Além disso, foi aprovada a Inclusão dos Direitos das Famílias como disciplina específica dentre as matérias da Primeira Fase do Concurso.

Participaram da sessão: Rafaela Consalter (Presidente em exercício), Alexandre Brandão Rodrigues (Subdefensor Institucional em exercício), Aline Corrêa Lovatto, Marcelo Bartmann de Oliveira, Neusa Maria Albrecht, Alessandro Genaro Soares Lema, Marcelo Martins Piton, Walter Luchese Willig, Daniel Vargas de Farias (Ouvidor-Geral) e Juliana Coelho de Lavigne (presidente da Adpergs).

A reunião teve ainda a participação de Alcindo Strelow (Presidente da Comissão do VI Concurso de Defensor) e Gizane Mendina Rodrigues (integrante do Grupo de Trabalho Permanente para Elaboração de Políticas de Combate à Discriminação Étnico-Racial).

POR FELIPE DAROIT – ASCOM DPE/RS

Continue lendo

Educação

Volta às aulas presenciais no RS à partir de terça-feira

Cronograma apresentado tem datas diferentes para a retomada facultativa das atividades conforme as idades dos estudantes

O decreto tão esperado pela comunidade escolar e municípios sobre a retomada das aulas presenciais no Rio Grande do Sul foi publicado pelo governo gaúcho. O texto oficializa o cronograma que o governador Eduardo Leite e o secretário estadual da Educação, Faisal Karam, haviam apresentado no último dia 1º de setembro. Com isso, o retorno gradual das aulas em solo gaúcho está permitido a partir da próxima terça-feira, dia 8 de setembro.

A publicação do decreto de número 55.465 estava prevista para sexta-feira, dia 4, o que acabou não se confirmando. O texto que estava sob análise da Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Sul (PGE-RS) foi publicado no início da noite deste sábado, dia 5.

Agora, com o decreto, os municípios e as instituições e estabelecimentos de ensino podem optar pelo retorno ou não das atividades presenciais, seguindo o calendário estabelecido pelo Palácio Piratini. As atividades presenciais só podem ser retomadas em regiões que não estejam classificadas com a bandeira final vermelha ou preta. O cronograma é detalhado no artigo 4º do texto e estabelece as seguintes datas:

I – Ensino infantil: 08 de setembro de 2020;
II – Ensino Superior e Ensino Médio: 21 de setembro de 2020;
III – Ensino Fundamental/anos finais: 28 de outubro de 2020; e
IV – Ensino Fundamental/anos iniciais: 12 de novembro de 2020.
O decreto 55.465 veda, ainda, em qualquer circunstância, a realização de atividades coletivas que envolvam aglomeração ou contato físico nas instituições de ensino. E permite a adoção de modelo híbrido de ensino nas instituições públicas e privadas que optarem por realizar atividades presenciais nos termos do decreto. Além disso, relaciona a volta, facultativa, da realização de atividades presenciais de ensino, de apoio pedagógico ou de cuidados a crianças e a adolescentes desde que preenchidos todos os requisitos estabelecidos no decreto e em portaria conjunta da Secretaria Estadual da Saúde e da Secretaria Estadual da Educação

Por JornalNH

Continue lendo

Educação

Uruguaiana diz que não retomará aulas presenciais conforme determinado pelo governo estadual

A Secretaria de Educação de Uruguaiana divulgou, nesta quarta, que o município não irá cumprir o calendário de retomada de aulas presenciais proposto pelo Governo do Estado. O Executivo municipal, em reunião com o Ministério Público Estadual (MPE), compartilhou informações importantes, entre elas o déficit de servidores (idade, doenças pré-existentes e outros itens incluídos no grupo de risco) em razão da pandemia. “Índice expressivo no universo de professores e servidores da rede de ensino”, diz Maria Helena Bairros Machado. Além disso, o município teme pela segurança da saúde das crianças devido a vulnerabilidade social.

Nesta quinta-feira, o Centro de Operações de Emergência (COE) do município estará reunido no modo on-line para tratar do futuro calendário escolar como também sobre a maneira com que o Centro questionará o Governo do RS sobre o retorno dos alunos das escolas estaduais, já que o transporte dos estudantes é encargo da prefeitura.
Por: Fred Marcovici/Correio do Povo
Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular