Contato

Cidade

Pedido para suspensão na Justiça Federal das desapropriação às margens da ferrovia é encaminhado

O Plenário da Câmara de Vereadores foi sede para um importante passo na solução acerca da desapropriação dos moradores que se encontram às margens da linha ferroviária que corta a cidade. Nesta quinta-feira (12), foi realizada Audiência Pública com o objetivo de atender às reivindicações dos moradores da localidade que estão alarmadas e pedem uma solução após terem recebido intimações extrajudiciais da Rumo Logística para saírem dos terrenos onde moram. Ao final, foi entregue à Comissão de Economia e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa um requerimento que solicita a a viabilidade da desativação total da linha ferroviária. 
 
Com superlotação, o Plenário Gaspar Cardoso reuniu moradores, vereadores, membros do Executivo e o deputado estadual e presidente da Comissão de Economia, Adilson Troca,e o relações governamentais da Rumo Logística, Miguel Jorge. A Audiência Pública foi uma proposta do vereador Moisés Fontoura.
 
De acordo com o deputado Troca, a possibilidade de ouvir a comunidade vai auxiliar nas petições do processo junto à justiça. Ele ainda lembrou que a situação não é única. Ao todo, 36 cidades do Rio Grande do Sul enfrentam a mesma problemática. Na mesma linha, o representante da Rumo ressaltou que a empresa não tem como objetivo retirar as famílias do loca, mas que é necessário achar uma solução. Ele ainda lembrou que a concessão para a Rumo é de 30 anos, sendo finalizada apenas em 2027. “Precisamos achar meios que assegurem os direitos de ambas as partes”, enfatizou em sua fala.
Conforme o vereador Fontoura,  é preciso atender às reivindicações dos moradores. Ele já entregou documento que solicita a suspensão das ações na justiça. Já o vereador Celeni Viana foi além e sugeriu que se oficialize um pedido para que as áreas em questão sejam decretadas como áreas de utilidade pública.  De acordo com o Presidente da Câmara, Luciano Belmonte, a comissão formada na Casa para tratar sobre o tema vai auxiliar os moradores durante o processo. Na próxima semana, os integrantes vão participar da audiência de conciliação.
 
Durante a audiência, moradores falaram sobre os dramas e dúvidas que os cercam desde o início da situação. Um deles relatou que sua vizinha – que tem problemas de saúde e se trata em Porto Alegre, está disposta a abandonar o tratamento e voltar para Alegrete com medo de perder a casa. O líder comunitário, Ênio Santos, faz parte dos muitos moradores que desaprova a conduta da Rumo.“A Rumo não limpa o espaço e agora quer retirar as pessoas dali”, reclama.
 
Ao longo de duas horas a situação foi explanada de forma pacífica entre os presentes. O presidente da Comissão de Economia se comprometeu a levar adiante as propostas defendidas no encontro. Já na sexta-feira (13), a prefeita Cleni Paz e os vereadores encaminharam à Rumo e ao TRF4 oficio que solicita a suspensão das ações na justiça.
 
Relembre o caso

A Rumo Logística encaminha, desde junho, notificações para que as famílias que moram às margens da linha ferroviária do antigo ramal Quaraí, desocupem o local. Lá, cerca de mil casas foram construídas e, até o momento, mais de 200 notificações já foram entregues.Segundo os relatos, a comunidade local não sabe como proceder e, na maioria dos casos, não tem para onde ir caso a reintegração de posse seja executada. 

A Rumo possui os direitos de concessão da faixa de domínio das áreas ferroviárias, que são da União, até 2027. Até lá, conforme o estipulado em contrato, ela é responsável pela guarda e posse dos terrenos e não deve permitir a ocupação de famílias em tais locais. Com base nisso, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) reguladora das atividades de exploração da infraestrutura ferroviária, rodoviária federal e agente do contrato, cobra que a operadora efetue o resguardo das áreas –  ou seja, a reintegração de posse. Tal demanda desalojaria toda a população que mora naquele entorno. Segundo a relações governamentais da Rumo, Giana Custodio, e o relações governamentais da concessionária no Rio Grande do Sul, Miguel Angelo, a cobrança não é iniciativa da empresa, mas sim o cumprimento de uma determinação prevista em contrato. “Nós fomos cobrados e temos que responder à ANTT ou teremos que pagar. Não queremos tirar a casa de ninguém”. Eles explicam que, antigamente, tais cobranças não eram efetivas, uma vez em que a ANTT fazia “vistas grossas”. 
Foto: Julio Cesar Santos
Continue lendo
Publicidade
Comentários

Cidade

Conesul comemora oito anos de liderança no setor de fibra ótica

https://drive.google.com/file/d/1R1cZrF9l3Z2GX1K4HdIkpldXF2DlW3ga/view?usp=drivesdk

https://drive.google.com/file/d/1R1cZrF9l3Z2GX1K4HdIkpldXF2DlW3ga/view?usp=sharing

Investir é sempre um grande desafio, não é mesmo?
Investir em alta-tecnologia e qualidade em uma região com vocação agropastoril, mais do que desafio, demonstra a crença no potencial inovador da população e na capacidade de desenvolvimento econômico dessa região.
A Rede Conesul Telecom assumiu esse grande desafio, 8 anos atrás e, movida por essa escolha desafiadora tornou-se o empreendimento de sucesso que é hoje.
Assista ao vídeo e conheça a história de pioneirismo na internet por fibra óptica da RCT.

Continue lendo

Cidade

É fake notícia sobre a vinda da Havan para Alegrete

Causou grande alvoroço e serviu de mote para a campanha eleitoral, mas não procede a informação da vibda Loja da Havan para a cidade.

É o que afirma o coordenador do SINE, Eider Penna. Ele informou ao EQ depois que esta informação foi divulgada,  houve muita gente entrando em contato para saber sobre as vagas.

Eider entrou em contato com a matriz em Brusque, SC. Hoje ele lançou uma nota para desmentir a notícia falsa.

“Ficamos entusiasmados com a vinda de um novo e mega empreendimento para a nossa cidade, eu como Coordenador Regional da FGTAS na qual faz a captação de vagas através da Plataforma SINE, tentamos contato com a empresa após a notícia que a empresa estaria chegando no nosso Alegrete.

Após a notícia vinculada a um site de reportagens aqui de nossa cidade algumas pessoas já procuraram nossa agência em Alegrete querendo saber informações, como é uma das condutas da Fundação entramos em contato com a empresa, fizemos uma ligação para a Matriz das Lojas Havan em Brusque – SC, na qual nos foi explicado que SIM a Havan veio em Alegrete, assim como foi em outras cidades através do setor de Expansão da empresa para ver a possibilidade de instalação na região, o administrativo da empresa nos repassou o e-mail do responsável pelo setor, Sr. Nilton Hang (irmão do dono Luciano Hang) na qual cordialmente respondeu nosso e-mail funcional, salientando que NÃO HÁ NADA CONCRETO no momento paraa instalação da empresa em nossa cidade.

Estamos na torcida para que nossa cidade seja contemplada, porém, ficamos entristecidos por saber que isso poderia mudar um pouco o cenário econômico de nossa cidade para melhor neste momento de pandemia, a princípio não irá se concretizar.

Vamos torcer para que Alegrete receba investimentos e que haja mais vagas de emprego, nós da FGTAS estamos sempre almejando mais vagas e oportunidades, mas a HAVAN no momento NÃO HÁ NADA,somente ficaremos no aguardo.

Oficializamos um documento e estamos entregando para todos os meios de comunicação de nossa cidade com cópia da resposta da empresa, para que seja divulgado para a comunidade que tanto torce pelo crescimento de nosso Alegrete.

Atenciosamente

Eider Penna
ADS – Coord. Regional FGTAS/Sine Oeste e Campanha RS”

Continue lendo

Cidade

Corrigido. Carro capota na avenida Tiaraju, na Zona Leste

 

Este Ford Ka acaba de capotar na avenida Tiaraju na altura da Vila dr.Romário. o motorista perdeu o controle do carro.

Segundo populares o motorista teve que desviar abruptamente de um ciclista que atravessou a pista e perdeu o controle do Ka.

O Gol branco descia do bairro em direção ao centro da cidade. A ambulância da Samu já está no local.

 

Imagem/ vítor cardozo

Continue lendo

Popular