Contato

Tecnologia

5 erros comuns que podem ‘matar’ seu celular

telefone

    Nunca desligá-lo ou limpá-lo são alguns dos pecados mortais, segundo especialistas. Para alguns, perder o telefone celular pode significar uma verdadeira tragédia. No entanto, não é sempre que o tratamos com o devido cuidado. Alguns erros comuns podem “matar” seu aparelho. Listamos abaixo alguns deles. 1. Nunca desligá-lo Uma das vantagens do telefone celular é facilitar a mobilidade do usuário. Especialistas afirmam que há duas boas razões para desligá-lo de tempos em tempos: prolongar a vida útil da bateria e reiniciá-lo, assim como fazemos com o computador. O primeiro argumento, no entanto, é mais controverso. Há várias correntes de pensamento sobre o uso adequado da bateria do celular: uma diz para desligá-lo; outra afirma que o procedimento não faz diferença. Em relação ao segundo, o objetivo é interromper processos que estão sendo realizados em segundo plano e frear “vazamentos de memória”, ou seja, aplicativos que estão ocupando espaço e consumindo energia da bateria. 2. Não usar proteção contra vírus e malwares Smartphones também são alvo de ataques maliciosos de vírus e outros malwares. Se seu celular funciona com o sistema operacional Android, vários aplicativos, como Lookout, Avast ou TrustGo podem mantê-lo imune a ataques ou mesmo eliminar ameaças. O mesmo não acontece no caso de iPhones. A Apple é responsável pela distribuição de patches de segurança quando detecta uma ameaça potencial. Dessa forma, é necessário manter o sistema sempre atualizado. Alguns especialistas desaconselham manter antivírus nos telefones por causa do espaço que ocupam e por que podem desacelerar o funcionamento. É uma questão de balancear riscos e benefícios. 3. Não limpá-lo Limpar o telefone por fora, apenas com um pano de microfibra, elimina as bactérias que se acumulam no dispositivo e reduz o risco do próprio usuário contrair doenças. Não use produtos químicos, pois eles podem danificar seu aparelho. Mas há outro tipo de limpeza: a interna, que significa eliminar arquivos desnecessários que ocupam espaço. Mais uma vez, há duas recomendações conflitantes: enquanto alguns especialistas aconselham usar um aplicativo de limpeza, como o Cleanmaster ou o TapCleaner, outros acreditam que a melhor forma seja apagar manualmente tudo o que não for vital. 4. Expô-lo a condições adversas A chave é saber o grau de proteção IP (Ingress Protection, em inglês) de seu telefone, indicando a resistência do dispositivo não só à água, mas também à poeira. Quanto mais alto for esse grau, mais resistente o celular é. E embora os telefones sejam muito mais resistentes à água do que no passado, poucos são os modelos que funcionam submersos. Dois aparelhos atuais que supostamente resistem ao teste são o Samsung Galaxy S7 e iPhone 6. Mas ambos sofreram danos em uma avaliação independente realizada neste ano pela empresa de tecnologia SquareTrade. Quanto ao calor, há um consenso de que não é uma boa ideia expor seu telefone a altas temperaturas, seja na praia, no deserto ou no interior do seu carro estacionado. 5. Carregá-lo no bolso Este é um erro considerado inevitável para a maioria dos especialistas. Carregar o telefone no bolso aumenta as chances dele cair no chão, na privada ou em outras superfícies inadequadas. Além disso, pode representar riscos para a saúde, pela radiação que os aparelhos emitem. Por essa razão, os manuais de vários modelos de iPhone, incluindo o 6, recomendam não carregá-los no bolso.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Manchete

Possível bug no Facebook troca miniatura de links por foto com sexo explícito

Usuários do Facebook estão relatando um suposto bug que causa a exibição de imagens pornográficas no feed. Segundo depoimentos publicados nas redes sociais nesta quinta-feira (27), fotos com sexo explícito estariam sendo exibidas na miniatura que acompanha o compartilhamentos de links provenientes de sites legítimos, incluindo veículos renomados da imprensa. Algumas pessoas também dizem ter visto o material impróprio em posts impulsionados, ou seja, cuja empresa responsável pagou pela veiculação. No entanto, o clique no material leva a pessoa ao conteúdo correto e não a um site adulto.

Por enquanto, ainda não está claro se é uma falha no site, mas, em resposta ao TechTudo, o Facebook confirmou que está ciente do problema e segue investigando a situação: “Estamos cientes de que algumas pessoas estão relatando terem visto conteúdos impróprios no Facebook que violam nossas políticas. Estamos trabalhando para identificar e remover tais conteúdos o quanto antes”, explica um porta-voz da empresa.

A maioria dos usuários diz que as imagens começaram a aparecer entre quarta (26) e esta quinta-feira (27). No Twitter, uma internauta relata que por pouco não formatou o computador pensando se tratar de um vírus. No entanto, logo percebeu que o aparente bug não havia acontecido somente com ela. Além disso, prints que circulam na web e diversas outras queixas levam a crer que as fotos também aparecem no aplicativo do Facebook para celular. No entanto, não é possível perceber um padrão para a suposta falha, já que o problema não acontece com todos os usuários.
Usuários relatam que imagens pornográficas estão surgindo em posts legítimos do Facebook — Foto: Reprodução/Twitter

Usuários relatam que imagens pornográficas estão surgindo em posts legítimos do Facebook — Foto: Reprodução/Twitter

Determinadas reclamações levantam a suspeita de que o bug poderia ser causado pelo sistema de propagandas do Facebook. Um estudo repercutido pelo The New York Times em 2019 revelou que rastreadores de Internet de grandes empresas, como Google e Facebook, haviam sido encontrados em sites com conteúdo adulto. Entretanto, não se sabe se a plataforma de anúncios, mesmo com dados de um site pornô no histórico, estaria na raiz do problema. Ainda assim, alguns usuários dizem ter eliminado a falha ao limpar os cookies do navegador.

Suposto bug no Facebook mostra foto com sexo explícito em miniatura de links — Foto: Reprodução/Twitter

Suposto bug no Facebook mostra foto com sexo explícito em miniatura de links — Foto: Reprodução/Twitter

O suposto bug no Facebook ocorre dois dias após o anúncio do Facebook News no Brasil. A plataforma de jornalismo profissional da rede social, que concorre com o Google News, deve estrear no país após 10 meses de testes no Estados Unidos. Por ora, não se sabe a data exata em que o recurso começará a funcionar. Segundo a empresa, a novidade será lançada ao longo dos próximos meses.

Abaixo, veja alguns relatos de usuários sobre o possível bug no Facebook. Há quem diga, até mesmo, que a rede social foi hackeada.

Fonte e imagens: www.techtudo.com.br
Continue lendo

Cidade

SEM SINAL: Usuários reclamam da Operadora Vivo

Usuários da operadora Vivo estão denunciando nas redes sociais a queda no serviço de telefonia na tarde desta segunda-feira (24). Conforme relatos, as falhas, que atingem principalmente o serviço de internet, mas também interferem nas ligações por celular e da TV por assinatura, começaram por volta das 12h.

A reportagem de EQ entrou em contato com o diretor do Procon, Geferson Maidana, que após receber dezenas de denuncias de usuários do serviço de telefonia e internet VIVO entrou em contato com a operadora.

Em resposta, a Vivo informou que nenhum problema teria sido registrado em seu sistema, mas que estariam analisando a situação e retornaria com uma resposta ao ocorrido, logo que encontrassem o que ocasionou este problema

Por volta das 17 horas o serviço voltou a normalizar, mas logo em seguida voltou para apenas sinal de Emergência.

Continue lendo

Tecnologia

Número de mediações online na Defensoria Pública dobrou em julho, em comparação ao mês anterior

Porto Alegre (RS) – Desde o dia 20 de abril, a Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul (DPE/RS) tem realizado sessões online de mediação familiar com o objetivo de resolver questões relacionadas à pensão alimentícia, guarda, divórcio, partilha de bens, entre outros, sem ingresso de ação na Justiça. O serviço é oferecido desde 2017 pela Câmara de Mediação Familiar, mas com a pandemia de covid-19 e o consequente distanciamento social, o formato online foi a solução encontrada para que as sessões continuassem ocorrendo. O modelo está funcionando tão bem que, de junho a julho, o número de sessões praticamente dobrou.

Em julho foram realizadas 143 sessões, enquanto que, no mês anterior, foram 77. O que explica o aumento, segundo a coordenadora da Câmara, defensora pública Patricia Pithan Pagnussatt Fan, foi a ampliação do número de salas virtuais, devido à grande procura por este serviço. “Estamos fazendo quatro ou cinco sessões por dia e antes fazíamos apenas uma. Para esse incremento dos números, contamos com a participação de escolas de mediação, faculdades e universidades conveniadas”, disse.

De acordo com Patricia, nas pesquisas de satisfação realizadas logo após as sessões de mediação, grande parte dos participantes relata que adorou o formato online, por ser eficiente e gerar economia no deslocamento das partes. Além disso, ela afirma que o fato de os assistidos estarem à vontade, em casa, deixa-os mais abertos a solucionar amigavelmente os problemas, o que gera uma mudança de mentalidade, ou seja, a cultura da paz. A agilidade e a inexistência de barreiras geográficas também são vantagens dessa modalidade, conforme Patricia.

Como procurar o serviço

Quem deseja mediar um conflito que esteja no âmbito do Direito das Famílias, como divórcio e guarda dos filhos, deve ligar para o Alô Defensoria (51 3225.0777), de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h, ou enviar email para [email protected]

POR CAMILA SCHÄFER – ASCOM DPE/RS

Continue lendo

Popular