Contato

Manchete

Funcionários da Santa Casa promovem brechó para comprar medicamentos

Um brechó de funcionários da Santa Casa de Caridade está funcionando desde cedo da manhã e vai até o final da tarde desta quinta-feira, em frente ao prédio novo, na rua Simplício Jacques. A iniciativa é do Grupo de Humanização que integra 22 profissionais das diferentes áreas do hospital. Segundo a coordenadora do projeto, a psicóloga Agnes Antunes, a iniciativa além de mobilizar os funcionários é uma forma de chamar a comunidade para a causa de salvar a Santa Casa de Caridade.

Ali o público vai encontrar vestuário e calçados em boas condições de uso. Hoje pela manhã, um casacão de lã, em bom estado de conservação foi vendido pela bagatela de R$ 70,00. “Olha tem muito funcionário do próprio hospital comprando”, disse a Assistente Social Tânia Zinelli.

Os preços de roupas pesadas são bem atrativos, tendo expositores com valores a partir de R$ 10,00. “Este é um primeiro evento, mas iremos realizar em breve um risoto”, disse Agnes. Por outro lado, boa parte do saldo do brechó servirá para crianças que muitas vezes são internadas na pediatria da Santa Casa de Caridade.

 

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Manchete

Sicredi Essência é o novo nome da Sicredi Pampa Gaúcho que amplia a sua área de atuação para o Espírito Santo

Na última quinta-feira, 04, a Cooperativa anunciou nas suas mídias sociais a mudança de nome e a sua nova área de atuação. A Sicredi Pampa Gaúcho que atuava em 12 municípios no Rio Grande do Sul, expandiu para o estado do Espírito Santo, passando a atuar em mais 17 municípios capixabas. E, com isso, foi necessário realizar a mudança de nome, agora a Cooperativa passa a ser chamada de Sicredi Essência.

A proposta de expansão da Sicredi Pampa Gaúcho para o Espírito Santo, ocorreu na última Assembleia Geral Extraordinária, dia 01 de dezembro de 2020 e homologada pelo Banco Central em fevereiro de 2021. De forma virtual, os coordenadores de núcleo representaram os associados e votaram a favor deste novo rumo. A Cooperativa propôs essa ampliação em sua área de atuação, pois já tem uma significativa participação no mercado financeiro local e deseja acompanhar um movimento que todo o Sistema Sicredi vem fazendo de ampliação da sua rede de atendimento para todo o Brasil.

O Diretor Executivo da Cooperativa, Henrique Assis explica que a Cooperativa faz parte da Central Sicredi Sul/Sudeste, responsável pelo processo de expansão para os estados de SC, MG e agora para o estado do ES. O objetivo é ampliar as áreas de atuação das cooperativas, marcando presença em todo o território nacional. Além da nossa Cooperativa, mais 4 Cooperativas da Central Sicredi Sul/Sudeste, irão expandir suas atividades para este novo estado.

O Presidente do Conselho de Administração da Cooperativa, José Antônio Severo Menezes (Zeca) afirma que existem diversos pontos levados em consideração para construção deste projeto de expansão, tais como: possuirmos um dos maiores patrimônios líquido dentro do Sistema Sicredi e do Brasil, disponibilidade de recursos, diversificação da matriz produtiva, ganho de escala, fortalecimento da marca e crescimento da base de associados. Ressalta que o custo de implantação de uma agência no ES, é muito semelhante a uma nova agência aqui no RS, e com o avanço tecnológico o acompanhamento da gestão à distância é muito mais fácil.

Sendo assim, a partir de 2021, a primeira agência em solo capixaba, será inaugurada pela Cooperativa, sendo um momento histórico para todos os associados, colaboradores, coordenadores de núcleo, conselho de administração, conselho fiscal e diretoria executiva.

“Inúmeros serão os desafios que enfrentaremos pela frente, e é mantendo a nossa ESSÊNCIA cooperativista, que levaremos para o Espírito Santo o nosso jeito Sicredi de ser. Sei que todos estão ansiosos para mais detalhes, mas estes traremos nas assembleias deste ano e após a abertura da primeira agência”, finaliza o Presidente.  

Continue lendo

Corona Vírus

Foram registrados dois óbitos por Covid e 118 casos positivos

Nesta quinta-feira (04) foram registrados 118 casos positivos, 55 mulheres e 63 homens, com idades entre 08 meses e 92 anos. Também foram registrados 27 recuperados.
Há 12 pacientes na UTI Covid, sendo 10 confirmados. No Hospital de Campanha há 27 pacientes, 19 confirmados e na UPA são 19 internados, 06 confirmados. Foram registrados dois óbitos por Covid-19, dois homens de 64 e 83 anos.
Atualmente são 5.458 casos confirmados, com 4.415 recuperados, 971 ativos (937 estão ativos em isolamento domiciliar e 34 hospitalizados positivos de Alegrete) e 72 óbitos.
Foram realizados 20.630 testes, sendo 15.019 negativos, 5.458 positivos e 153 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 1.221 pessoas.
Continue lendo

Manchete

Bandeira preta será mantida no Rio Grande do Sul

Anunciada há uma semana, a bandeira preta em todo o Rio Grande do Sul deverá ser mantida.

Na ausência de previsão de os dados de contaminação e de ocupação da rede hospitalar recuarem, o caminho será seguir atuando nas restrições. Nesta quinta-feira, o governador tem reunião com o Gabinete de Crise, às 9h, para analisar os dados e tentar definir quais serão as próximas estratégias.

Na sexta-feira passada, Leite não descartou a possibilidade de medidas mais restritivas, o que, inevitavelmente, irá gerar crises e pressões contrárias.

É verdade também que manter essas regras trará outros desafios, como a questão da fiscalização, que recaiu sobre os prefeitos, e a de sensibilizar a população, especialmente quando existem tantos conteúdos falsos e com informações equivocadas, que só dificultam a conscientização. Porém, os dados não deixam de ser alarmantes. Por exemplo, na quarta-feira, às 18h, a taxa de ocupação de leitos de UTI no Estado era de 100,09%.

Há uma semana, quando Leite suspendeu a cogestão com prefeitos no Modelo de Distanciamento Controlado, o índice era de 91,9%. No detalhamento, a ocupação nas regiões Metropolitana, dos Vales e a da Serra ultrapassava a 100%.

Outro ponto é que, no balanço das hospitalizações desta quarta-feira, os pacientes de Covid-19 passaram gradativamente a ocupar leitos que, até então, vinham sendo ocupados por pacientes com outras enfermidades. Assim, ao longo dessa semana, a situação não deu sinais de que retrocederá. Ao contrário. Além do aumento no número de óbitos e a ocupação do sistema de saúde que extrapolou a capacidade, foram registradas transmissões comunitárias da variante de Manaus em Porto Alegre, a chamada P1, que tem se mostrado mais agressiva. 

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular