Contato

Em Campo

Mutirão controla fogaréu na região do Gassu-boi

“Muitos vizinhos ajudaram nos outros pontos de fogo, aqui nós éramos 12 com um trator com uma bomba que que manda água à uma boa distância. Enfim, o esforço conjunto prevaleceu com a graça Deus!”. Este é o desabafo feito pelo Catô Beleza num grupo agora à noite, depois de mais de 24h de trabalho intenso.

Dezenas de pessoas se uniram na região do Guassu-Boi, a 50 quilômetros da cidade, onde um grande incêndio avançou com o vento e o campo seco de três propriedades rurais.

Mas foi a ação efetiva dos aviões da Aviação Itagro que virou o jogo. Marco Antônio Camargo, proprietário da empresa, disse ao Em Questão, que a primeira aeronave, com capacidade de 1500 litros de água, partiu do angar ainda na madrugada.

Foram mobilizados ao longo do dia 11 funcionários e duas aeronaves e um caminhão pipa da aeroagrícola.

Foram dezenas de viagens para lançar água sobre as chamas. A cada vôo 1.500 litros dágua. O tanque, ao lado da pista da Cabanha São Manoel, era abastecido pelo caminhão pipa, que puxava água de uma barragem próxima.

Duas equipes em terra que à tarde estavam exauridas.

Um forte apelo feito por Marco Camargo, num grupo de produtores, no início da tarde, acionou outros, porque mesmo lançando milhares de litros de água, o rescaldo em terra não era o suficiente.

Um segundo avião, com capacidade de transportar 800 litros de água, foi acionado e, então, vizinhos e funcionários das três propriedades em chamas entraram pra valer no combate ao fogo.

Levaram tratores e discos para arar a terra na estratégia montada para contolar o fogo e ajudar a ação das duas aeronaves.

As imagens feitas a bordo do avião, pelo piloto Marco Camargo, deram a dimensão da terra arrasada por onde o fogo passou.

Após a chamada forte e apelo para ajuda, a mobilização dos vizinhos foi fundamental para debelar as chamas no final da tarde desta segunda-feira.

No início da noite Camargo também postou um texto: “venho avisar que o fogo está controlado no Guassua-Boi. Obrigado aos que atenderem o chamamento e ajudaram…a operação chamada rescaldo é importantíssima, o avião apaga a chama permitido que o pessoal venha fazendo uma varredura para que não tenha novo princípio. Que isso vá servindo de experiência, para que possamos ser mais eficiente nessas ações…obrigado aos que ofereceram pistas..”

O produtor rural Paulo Fleck cedeu a pista, com estrutura de tanque de abastecimento, pessoal e barragem.

 

As imagens são de Marco Aurélio Camargo

 

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Em Campo

Exposição Agropecuária será reformulada para se adequar à pandemia

O presidente do Sindicato Rural de Alegrete, Luiz Plastina Gomes e demais diretores vem trabalhando numa formatação alternativa para a realização da 78ª edição da Exposição Agropecuária de Alegrete.

O evento tradicional, que sempre ocorre na metade do mês de outubro, tem fomentado reuniões semanais, reunindo produtores e expositores que deverão participar da feira.

O objetivo é planejar um formato reduzido do evento e que se adeque às exigências sanitárias e epidemiológicas em virtude da pandemia do Coronavírus.

A diretoria do Sindicato está dando prosseguimento à programação de remates que ocorrerá em outubro, no Parque Dr. Lauro Dornelles.

O objetivo é de que pelo menos aconteça a comercialização de animais através de leilões.

#SindicatoRural #ExpofeiraDeAlegrete #remates #leilões #genetica #pecuaria #somostodosagro #agro

Continue lendo

Em Campo

Geada marca o amanhecer em Alegrete

Cenas de campos brancos encobertos pela fina camada de gelo dão o tom desta quinta-feira no município.

O mês de agosto está chegando e julho foi um mês com todos os climas do ano. Chuva, calor, temperaturas negativas e até dias de brisa e temperatura na casa dos 20 graus centígrados.

As imagens desta manhã gelada com temperatura de zero grau são de Sérgio Dornelles.

Continue lendo

Em Campo

Gafanhotos se aproximam da fronteira do Brasil

A nuvem de gafanhotos que está na província de Corrientes, Argentina, pode chegar na próxima quarta-feira ao Rio Grande do Sul, segundo técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do estado.

O movimento migratório dos insetos foi impulsionado pela onda de calor que atingiu a região no último fim de semana.

Até a manhã de hoje, estimava-se que a nuvem esteja a 120 km ou 130 km da fronteira brasileira, do município gaúcho de Barra do Quaraí.

Continue lendo

Popular