Contato

Em Campo

Nova Diretoria da Fundação Maronna em visita à Estância do 28

No dia 22 de junho a nova diretoria da Fundação Maronna visitou a Estância do 28 com o objetivo de conhecer a estrutura física, áreas de campos, lavouras e animais que geram recusos para a realização dos objetivos fins da instituição (Desenvolvimento Rural Sustentável, Combate à pobreza, Experimentação, Pesquisa, Divulgação de conhecimento). Saber a real situação em que os sistemas produtivos se encontram, facilitará a tomada de decisão da diretoria.

Os diretores também visitaram as ruínas dos “Cambraia” e um mausoléu construído em 1900, locais que já foram tema de estudo arqueológico de professores da Universidade Federal de Santa Maria e carregam uma parte da história do município de Alegrete.

Na oportunidade, realizou-se uma reunião para planejar os próximos passos da organização. Eleita no último dia 08 de junho, a nova diretoria visa uma administração participativa e democrática, contando com o apoio dos colaboradores para o fortalecimento da Fundação Maronna.

Diretores da Fundação Maronna:

Presidente: Henrique Rodrigues Farret

Vice- presidente: Carlos Eduardo de Oliveira Suertegaray

Tesoureiro: Fernando Leães Simch

Secretário: Ricardo Linhares dos Santos

Suplentes: Gustavo Thompson Flores, Ivens Cristiam Silva Vargas, Yanc y Dias Oliveira Filho e Nerlei Anjos dos Anjos.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Em Campo

Alguns clientes rurais da RGE deverão fazer recadastramento

Os clientes da RGE que moram em áreas rurais e estão com pendências no seu cadastro, devem fazer o seu recadastramento a partir de hoje (01/06) com a distribuidora para continuarem a usufruir dos benefícios tarifários na conta de energia. A revisão cadastral está prevista pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), na resolução 901/2020.
A medida da Aneel regulamenta a manutenção dos benefícios tarifários concedidos aos consumidores da classe rural, irrigantes e aquicultores, de serviços públicos de água, esgoto e saneamento, e estabelece que a cada três anos seja realizada a revisão para manter o cadastramento atualizado e garantir que os clientes que atendem às exigências recebam os descontos na conta de luz.
O primeiro ciclo de recadastramento dos consumidores das quatro distribuidoras do Grupo CPFL (CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE) começa em 2021. Quem comprovar a atuação no ramo seguirá com os benefícios tarifários. Neste ano, cerca de 52 mil clientes serão avisados sobre a necessidade de atualizar os dados na distribuidora.

Continue lendo

Em Campo

Estados com agronegócio forte darão o impulso à economia

Os estados cujas economias são atreladas ao agronegócio devem registrar em 2021 um crescimento maior do que o nacional e liderar a retomada da economia brasileira até 2022, segundo levantamento da MB Associados.

A consultoria estima que 15 estados deverão ter um avanço acima da média nacional neste ano, sendo 8 deles das regiões Centro-Oeste e Norte, além de grandes produtores agrícolas do Nordeste como Piauí e Bahia.

O maior crescimento deverá ser observado no Mato Grosso (4,97%) e o menor no Rio de Janeiro (2%). Para o PIB do Brasil a projeção é de um crescimento de 3,2%, após o tombo de 4,1% em 2020. 

“A tendência que já temos visto nos últimos anos e que permanece é que estados com uma base de commodities fortes tendem a ter uma recuperação um pouco mais forte, como é o caso dos estados do Centro-Oeste especialmente”, afirma o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale.

Entre os primeiros colocados do ranking, Amazonas e Rio Grande do Norte são os únicos estados cuja projeção de crescimento não está relacionada diretamente ao agronegócio, e sim a uma base de comparação mais fraca, uma vez que registraram em 2020 um tombo maior que o do PIB do Brasil.

“A Zona Franca de Manaus teve dificuldades no ano passado. Teve toda questão de ser uma cadeia de produção que depende de insumos e teve muita paralisação por conta disso”, explica.

Novo ciclo de alta das commodities

A alta demanda externa por commodities agrícolas e metálicas tem impulsionado as exportações brasileiras e contribuído para a melhora das projeções para o crescimento da economia em 2021. O preço do minério de ferro teve uma alta de mais de 40% em cinco meses, e a soja um aumento da ordem de 20%.

“O que vai salvar o PIB neste ano de fato é essa questão das commodities, que estão tendo essa performance bem forte”, diz o economista.

Embora a agricultura e a pecuária tenham um peso da ordem de 5% nos números oficiais do PIB, o economista destaca que, quando é considerada toda a cadeia industrial, de serviços e de exportação relacionada ao setor, o PIB do agronegócio já representa atualmente uma participação da ordem de 30%. Nos estados do Centro-Oeste, o peso do agronegócio no PIB chega a ser superior a 80%.

“Praticamente um terço do PIB brasileiro é do agronegócio. Se junto as outras commodities –petróleo e gás, e mineração –, estamos falando de 40% a 45% do PIB do Brasil”, afirma o economista. Ele destaca, porém, que as commodities agrícolas têm uma difusão mais forte na economia, contribuindo significativamente para impulsionar a renda e o consumo nas regiões produtoras.

“São mais empresas relacionadas ao segmento do agronegócio, mais produtos, mais gente contratada e é mas espalhado regionalmente também. Então acaba tendo um impacto mais forte do que o minério de ferro e o petróleo”, diz.

A consultoria projeta que a renda total gerada pelo agronegócio deverá atingir em 2021 o volume recorde de R$ 965 bilhões, com um salto de 40% na comparação com 2020 (R$ 687 bilhões).

Sudeste e Nordeste na lanterna

O levantamento mostra ainda que, considerando os resultados oficiais desde 2010 e as projeções até 2022, os estados do Sudeste devem ter a menor taxa de crescimento acumulada.

Os cinco primeiros colocados em crescimento deverão ser Mato Grosso, Piauí, Roraima, Tocantins, Mato Grosso do Sul.

“As novas fronteiras agrícolas que foram surgindo, especialmente na região do Mapitoba (Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia) e que colocaram o Piauí e o Tocantins entre os 5 de maior crescimento, ajudam a contar a narrativa de desenvolvimento desses estados”, afirma Vale.

Já os 5 estados com o pior desempenho acumulado estão no Sudeste e Nordeste: Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe.

“Os cincos piores estados em termos de crescimento são aqueles relacionados às estruturas tradicionais da economia, especialmente com forte base em serviços, ou que tiveram menos apoio do Estado com crescimento menor do Bolsa Família e do salário mínimo”, diz o economista, acrescentando ainda que é natural que estados mais pobres cresçam mais que os mais ricos, como os do Sudeste.

Com relação à região Sul, o estudo destaca que se trata de uma economia madura tanto para a economia tradicional como para agronegócio, com estados com elevada taxa de produtividade e sem grandes extensões de área para crescimento.

Apesar das diferenças regionais e de performance, a MB avalia que, até o final de 2022, todos os estados conseguirão ter recuperado o que se perdeu com a crise da pandemia do novo coronavírus.

Na avaliação da consultoria, o Sudeste, tende a recuperar o que se perdeu com a crise pela força de sua base de serviços (São Paulo) e commodities (Minas Gerais e Espírito Santo). Já o Rio de Janeiro, apesar da forte cadeia de óleo e gás, “tem sofrido com as inúmeras turbulências políticas que acabam sendo um elemento negativo para o investimento

Continue lendo

Em Campo

Abertas às inscrições do Terneirão de Alegrete

O Sindicato Rural de Alegrete lançou mais um evento do seu calendário anual. A entidade está com as inscrições abertas até o dia 21 de maio o Terneirão do Alegrete, 11ª edição, que ocorre de forma virtual e presencial no dia 10 de junho, no Parque Dr. Lauro Dornelles. 

 

São aceitos terneiros, castrados e inteiros, de raça ou cruza, terneiras e vaquilhonas. A feira promete movimentar o setor com ampla oferta de animais e amplos financiamentos bancários.  A transmissão será virtual pelo youtube do Sindicato Rural.

De acordo com o presidente do SRA, Luiz Plastina Gomes,  “estamos às vésperas de mais um grande evento da pecuária de corte do RS. O Terneirão do Alegrete, que oferecerá, mais uma vez, uma super oferta de qualidade de genética reconhecida no estado e no brasil”.

Segundo ele, será oportunizado aos invernadores a chance de adquirirem animais com excelente padrão zootécnico, que produzem uma das melhores carnes do Brasil e que irão produzir genética de qualidade. “Assim podemos dar a certeza de oferecer aos compradores qualidade e não apenas quantidade”, aposta.

O Terneirão se destaca por ter quase 50% de compradores de outros municípios. “Isto prova a procura pela qualidade do nosso produto. Esperamos novamente os produtores para efetuarem bons negócios. Deixamos, então, o convite aos produtores para se inscreverem até 21 de maio e estarem conosco”, convida o presidente.

Informações pelos fones 3422.4577 ou whatsapp 99631-0916, falar com a Carla Quinteiro. 

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular