Contato

Esportes

Rio-2016: COI silencia sobre estado de calamidade pública

alx_esporte-revezamento-tocha-olimpica-lagoa-grande-pernambuco_originalComitê Rio 2016, responsável por organizar os Jogos, e o prefeito Eduardo Paes garantem que a crise financeira não causará impacto no evento.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) adotou o silêncio diante do decreto de calamidade pública no estado do Rio de Janeiro, a menos de 50 dias do início dos Jogos Olímpicos. Procurada, a entidade com sede em Lausanne não se posicionou em relação aos últimos acontecimentos. Já o Comitê Rio-2016, responsável por organizar os Jogos, garantiu que o estado de calamidade pública não causará impacto na organização.

“Não afeta em absolutamente nada”, afirmou o diretor de Comunicação do Rio-2016, Mario Andrada. “Primeiro, porque a gente já sabia que o Estado estava quebrado. Segundo, porque os recursos por meio de incentivo (renúncia fiscal) já foram garantidos.”

Na prática, a manobra do estado do Rio permitirá um acesso mais rápido a recursos federais, algo que soa bem para os interesses do COI. O presidente Thomas Bach havia chegado a um acordo para antecipar transferências de recursos aos organizadores do Rio e, assim, resgatar o evento. Mas havia colocado uma condição de que esse dinheiro teria de ser acompanhado por recursos federais para as áreas estratégicas como abastecimento de energia.

 

A questão do financiamento foi algo debatido desde o primeiro contato telefônico entre Bach e o presidente interino, Michel Temer, há um mês. Oficialmente, porém, o COI evita dar sua posição sobre a situação.

“O prefeito (Eduardo Paes) já disse que isso não terá efeitos sobre os Jogos”, disse a direção de Comunicação do COI. Ao invés de fazer sua própria declaração, a entidade preferiu citar os comentários do Comitê Rio-2016, presidida por Carlos Arthur Nuzman e, oficialmente, uma entidade independente do COI.

“O Rio-2016 confirmou: isso não tem impacto na preparação e operação dos Jogos, já que o Comitê Organizador não depende de dinheiro público”, disse o COI, sem explicitar qual seria sua própria posição. Se nem a Rio-2016 e nem o COI recebem recursos diretos do estado, a realização do evento depende diretamente das obras de infraestrutura bancadas com dinheiro público.

Há duas semanas, Craig Reedie, vice-presidente do COI, admitiu que as obras no metrô eram “fundamentais”. “O que eu quero saber é se o transporte vai funcionar ou não”, disse. Segundo ele, os brasileiros teriam dados essas garantias nas reuniões mantidas em Lausanne no início do mês.

Pressionados pelas diferentes federações esportivas, o COI adotou uma estratégia para blindar o Rio de Janeiro de críticas. Nos bastidores, porém, vem atuando de uma forma pouco comum para resgatar os Jogos. Pagamentos que seriam transferidos de Lausanne para o Rio apenas em agosto foram antecipados. Bach também deslocou novos funcionários ao Brasil e serviços foram cortados.

Riscos – No decreto que institui o estado de calamidade, a Olimpíada é citada em três das oito justificativas. A grave crise financeira do Estado “vem impedindo o Estado de honrar com os seus compromissos para a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016”, expõe o texto assinado pelo governador em exercício, Francisco Dornelles (PP), 49 dias antes do início dos jogos.

O decreto afirma ainda que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos “possuem importância e repercussão mundial” e “qualquer desestabilização institucional implicará um risco à imagem do País de dificílima recuperação”.

bruno_de_barros_moscou_ap

Young girl in goggles and cap swimming butterfly stroke style in the blue water pool

Young girl in goggles and cap swimming butterfly stroke style in the blue water pool

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Esportes

Defesa falha, e Inter leva virada do Deportivo Táchira pela Libertadores

A defesa do Inter falhou duas vezes, e um jogo que parecia encaminhado acabou em derrota. Hoje (11), o Colorado saiu na frente, mas levou a virada e perdeu por 2 a 1 para o Deportivo Táchira, no estádio Pueblo Nuevo, pela quarta rodada do grupo B da Libertadores. Thiago Galhardo fez o gol dos brasileiros. Hernández e Cova, os da equipe venezuelana. 

O resultado embola a chave. O Inter segue em primeiro, com seis pontos. Mas o Táchira agora tem a mesma pontuação. Os outros dois times do grupo, Olimpia-PAR e Always Ready-BOL, jogam quinta-feira. Os bolivianos também estão com seis e os paraguaios, com três.

O Inter volta a campo no domingo (16) para enfrentar o Grêmio no primeiro jogo da final do Campeonato Gaúcho. O jogo será no Beira-Rio. O Deportivo Táchira encara o Deportivo de Mérida, no sábado (15), pelo Campeonato Venezuelano.

Foi bem: Marcelo Lomba salva o Inter quando dá Marcelo Lomba fez ao menos três defesas muito complicadas, evitando gols do Deportivo Táchira. Seja com saídas ou ações fundamentais, o camisa 12 só não defendeu quando realmente foi impossível, e acabou ainda cometendo um pênalti após erro de Edenilson.

Foi mal: defesa do Inter falha duas vezes Edenilson no fim da partida, Moisés e Zé Gabriel um pouco antes. A defesa do Inter foi protagonista nos gols do Táchira. O time vermelho, que vencia, “entregou” os três pontos aos rivais.

Saravia volta a ser titular e sofre com falta de ritmo Uma das novidades na escalação de Miguel Ángel Ramírez, Saravia voltou a ser titular após mais de sete meses. Os reflexos do período distante do time em razão de uma grave lesão no joelho direito estiveram presentes em campo. Logo no início, o argentino errou uma série de passes na defesa e ainda aparentou dificuldades nas ações coletivas do time. Mas, entre acertos e erros, teve uma atuação regular ao todo.

O jogo do Deportivo Táchira: chances claras, mas pouca técnica O Deportivo Táchira se mostrou um time fraco tecnicamente, mas muito aplicado. Disputou cada lance, cada palmo de gramado, com ímpeto e força gigantescos. Mas esbarrou na falta de qualidade evidente dos jogadores. Até criou uma chance clara, utilizando a linha defensiva avançada do Inter. Mas foi desperdiçada num erro de conclusão.A defesa, de baixa estatura, perdeu a maioria dos duelos pelo alto, mas tentou de todas as formas evitar o gol do Inter. No segundo tempo, após os brasileiros abrirem o placar, o time venezuelano foi para cima e gerou várias oportunidades. Teve bola na trave, forçou Lomba a fazer grandes defesas, e foi perigoso até marcar e seguiu empenhado até virar.

O jogo do Inter: domínio do jogo, mas recuo no segundo tempo O Inter dominou o jogo e até criou boas chances de gol. No primeiro tempo, foram três oportunidades de conclusão. Equívocos no último terço do campo impediram produtividade maior. Mas a equipe de Ramírez foi dominante durante toda partida, sofreu pouco e esteve sempre próxima de marcar. As alterações propostas pelo comandante, porém, não surtiram efeito positivo. Yuri Alberto e Galhardo juntos foi a opção de melhor rendimento.Marcos Guilherme pela direita não conseguiu vitória pessoal, e Saravia ainda mostrou falta de ritmo. Nonato teve rendimento apenas regular. No segundo tempo, o Colorado marcou cedo, mas recuou muito e passou a sofrer constante ameaça. Tanto foi que levou o empate e a virada.

FICHA TÉCNICA DEPORTIVO TÁCHIRA 2 X 1 INTERNACIONAL

Data: 11/05/2021 (terça-feira)

Local: estádio Pueblo Nuevo, em San Cristóbal, Venezuela

Árbitro: Wilmar Roldán

Auxiliares: Miguel Roldán e Richard Ortiz

Cartões amarelos: Gómes, Camacho, Granados, Covea, Vivas (TAC); Dourado, Saravia, Galhardo (INT)

Gols: Thiago Galhardo, do Inter, aos 6 minutos do segundo tempo; Hernández, do Deportivo Táchira, aos 31 minutos do segundo tempo; Cova, do Táchira, aos 40 minutos do segundo tempo;

Deportivo Táchira Varela; Camacho, Vivas, Trejo e Granados; Cova, Flores, Covea (Velasco) e Góndola (Zalzman); Lucas Gómez (Angarita) e Edgar Pérez Greco (Hernández).

Técnico: Juan Tolisano.

Inter: Marcelo Lomba; Saravia (Rodinei), Zé Gabriel, Cuesta e Moisés; Dourado (Lindoso), Nonato (Praxedes) e Taison (Edenilson); Yuri Alberto, Marcos Guilherme (Mauricio) e Galhardo.

Técnico: Miguel Ángel Ramírez.

Continue lendo

Esportes

Renato cai depois de afundar o time na pré-Libertadores

A chapa de Renato Gaúcho começou a esquentar na reta final da temporada passada. Após a queda na Libertadores, a Copa do Brasil virou a tábua de salvação, mas o desempenho nas duas partidas contra o Palmeiras pesaram na conta do treinador.

Irritado com as críticas, o comandante pediu reforços de peso, mas apenas o lateral-direito Rafinha e o volante Thiago Santos chegaram ao clube.

Torcida

Antes intocável, Portaluppi virou alvo de críticas da massa Tricolor. Nas últimas semanas as redes sociais explodiam de xingamentos após as fracas atuações da equipe.

Passagem

Em sua terceira passagem como técnico do Grêmio, Renato colecionou polêmicas, frases de efeito e taças: Copa do Brasil (2016), da Libertadores (2017), da Recopa Sul-Americana (2018), de três estaduais (2018, 2019 e 2020) e uma Recopa Gaúcha (2019).

Continue lendo

Esportes

Mega. R$ 33 milhões em jogo nesta quarta-feira

A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (14) um prêmio acumulado de R$ 33 milhões.

As seis dezenas do concurso 2.362 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o País ou pela internet. A aposta mínima, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular