Contato

Educação

Professor alerta sobre o uso político das manifestações

Neste sábado, foi postado nestas redes sociais, ligadas ao grupo de discussão sobre as manifestações da Unipampa, um post do professor Leandro Ramires Comassetto, que faz uma ampla análise da situação do país e seus efeitos dentro da Universidade. Ele faz um alerta para possível interferência política na tentativa de uso das manifestações. Leiam com atenção.

A OCUPAÇÃO INCONSEQUENTE DA UNIPAMPA

(A comunidade precisa saber)

A despeito de uma grande maioria que quer, de fato, estudar e clama por aulas, a Unipampa vive uma situação inusitada. Mantém uma ocupação marcada visivilmente pelo caráter partidário e inconformista dos que não admitem as mudanças que estão ocorrendo na alta esfera governamental do país e que, é só questão de tempo, ameaça ruir com o comando político em sua quase totalidade. As investigações que se sucedem no campo da Lava-Jato, e que, exemplarmente, vêm se seguindo no mandato do presidente interino, demonstram a prevalência de um desejo mais forte, oriundo do clamor popular, de moralidade e banimento de todos os corruptos, doa a quem doer.

O povo não quer retrocesso. Aclamou o processo de impeachment daqueles que fizeram de tudo para varrer a sujeira para debaixo do tapete depois de terem aparelhado o Estado com o que de mais torpe no meio político em nome de seu projeto de poder. Mas isso não significa que a população está disposta a arcar com eventuais desmandos do governo Temer e com quem se seguir depois dele. É preciso avançar. Esse, entretanto, não é o sentimento que se verifica em boa parte das universidades públicas e, especialmente, na Unipampa, onde, disfarçado de uma indignação contra a “precarização do ensino”, advindo imediatamente após o impeachment, um movimento repentino incita os alunos a ocuparem as instalações da instituição e força uma greve descontextualizada de qualquer reivindicação concreta, numa clara demonstração de que a mobilização se dá unicamente para engrossar o grito dos inconformados contra as mudanças nos rumos da política.

Nesse sentido, grupos ideologicamente aparelhados e/ou induzidos por aqueles que sempre vestiram a toga partidária, fazem de tudo para impedir o andamento das aulas, como se sua atitude, por si só, fosse, num passe de mágica, “desprecarizar” a educação e restaurar as universidades. Pura ilusão, ou melhor, puro ato de má fé. A manifestação sequer chega ao conhecimento do governo federal e, mesmo que chegasse, nenhuma atitude concreta será tomada neste momento de conturbação política e de ainda apuração dos desmandos do governo Dilma, que mergulhou o país numa crise profunda, deixando um rombo de 170 bilhões de reais nas contas públicas e que só faz por gerar desemprego e espalhar a miséria, prejudicando as classes mais pobres.

Pobres também são os que saíram de regiões longínquas, na ilusão do ensino público e de qualidade, com vistas a se capacitar para vencer na vida, e agora veem a universidade ocupada, as salas vazias e a impossibilidade de entrar em qualquer ambiente, nem sequer à biblioteca, para buscar o tão almejado conhecimento. Enquanto isso, arcam com as despesas de aluguel, comida, transporte etc, correndo o risco, inclusive, de perder o semestre, enquanto um percentual muito pequeno festeja uma vitória que só faz sentido para suas pretensões particulares (sim, porque há, inclusive, candidaturas em jogo para a eleição interna que se avizinha) e seu egocentrismo.

O mais curioso, porém, é que, em nome do jogo eleitoreiro e do autoprotecionismo reinante nas instituições públicas, nem direções nem reitoria tomam medidas para restaurar a normalidade, preferindo engrossar, mesmo que contra a íntima vontade, o discurso da demagogia.

É preciso esclarecer aqui que nem este colunista, professor da Universidade Federal do Pampa, nem os alunos, professores e funcionários que se mostram contra a ocupação da Unipampa são a favor da precarização do ensino público. Muito pelo contrário. Praticamente a totalidade deles já participou de movimentos anteriores, pautados na racionalidade e na busca de resultados concretos, e não a partir de causas vagas e subjetivas movidas pelo sabor do momento. Está-se ciente, sim, de que novas lutas se farão necessárias e que toda a classe, não só em São Borja, Jaguarão, Uruguaiana… e não só no âmbito da Unipampa, mas de todas as instituições brasileiras, terá que estar unida e forte em nome da causa da educação.

É preciso, todavia, esperar o momento adequado, reunir forças e construir o movimento, que passa, antes de qualquer greve ou ocupação, primeiro pela negociação, para depois, caso necessário, partir para atitudes mais radicais. O que ocorre agora, entretanto, é colocar a carroça na frente dos bois. É adiantar uma manifestação que não levará a lugar nenhum, a não ser à desmoralização e ao enfraquecimento da própria categoria e ao prejuízo imensurável que está sendo causado aos alunos, que perdem as aulas, gastam necessariamente para se manter longe de casa e atrasam a formação e a busca de uma fonte de renda que, ao invés de eternos mendicantes, possa torná-los efetivamente cidadãos.

 

Leandro Ramires Comassetto

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Educação

IFF abre inscrições para seleção do Curso Formação Pedagógica de Professores para Educação Profissional (EaD)

As inscrições para o Curso Formação Pedagógica de Professores para Educação Profissional (EaD), para ingresso no 2º semestre letivo de 2021, podem ser feitas até o dia 30 de junho pela internet, através do preenchimento de formulário e envio da documentação especificada no edital. Conforme o edital, as inscrições devem ser feitas através do preenchimento do formulário disponível no link https://forms.gle/jsjQvXRJRrQECCrE6

O objetivo geral do curso é formar professores, em nível superior, para exercer a docência na modalidade de Educação Profissional, capacitando-os para atuar no ensino técnico de nível fundamental e médio.

São ofertadas 160 vagas no campus/polo Alegrete, Frederico Westphalen, Jaguari e Santo Augusto. Podem concorrer à vaga candidatos não licenciados, portadores de diploma de curso de graduação – Bacharelado ou Tecnologia. Não haverá taxa de inscrição. O curso ofertado é 100% gratuito.

O curso será desenvolvido na modalidade a distância através da Plataforma Moodle. Além das atividades a distância, o curso contará com atividades presenciais, as quais serão desenvolvidas no campus/polo proponente do curso.

A classificação final será por ordem decrescente da nota final dos candidatos. A lista de classificados em 1ª chamada está prevista para o dia 21 de julho.
Mais informações podem ser acessadas no Edital nº 176/2021.

Continue lendo

Educação

Prorrogado o período de inscrição para o processo seletivo de professores

NOTA DE ESCLARECIMENTO
A Prefeitura de Alegrete, por meio da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (SECEL) informa que, devido a problemas técnicos na plataforma, que serão solucionados até o final desta segunda-feira (14/06), haverá prorrogação do período de inscrição para o processo seletivo de professores.
A SECEL solicita que os candidatos já inscritos confiram o seu cadastro, através do número do CPF. Caso haja qualquer documento faltando ou dados incorretos, os mesmos poderão ser alterados no próprio concorrente. As alterações constam no edital de retificação número 020/2021.
Continue lendo

Educação

IEOA suspende aulas presenciais por confirmação de Covid

O Instituto Educacional Osvaldo Aranha- Escola Cívico Militar, supendeu por 48 horas sua atividades presenciais por conta de um colaborador ter confirmado positivo pára Covid-19.

As atividades escolares continuarão acontecendo de forma remota, conforme a nota emitida pela instituição nesta tarde, confira a nota abaixo:

 

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular