Contato

Corona Vírus

Alegrete e região retornam para a bandeira laranja

O primeiro mapa preliminar do Distanciamento Controlado de 2021 traz, novamente, a classificação de risco altíssimo ao Rio Grande do Sul. No mapa desta 35ª rodada, publicado nesta sexta-feira (1°/1), a região Covid de Bagé retorna à bandeira preta, depois de duas rodadas em bandeiras mais leves (vermelha e laranja, respectivamente).

O risco altíssimo em Bagé é resultado da combinação entre a piora no número de leitos livres/pacientes Covid na macrorregião Sul e o fato de a região apresentar bandeira preta no indicador de hospitalizações para cada 100 mil habitantes. Isso culminou no acionamento da nova regra do Distanciamento Controlado: a salvaguarda de bandeiras vermelha e preta, quando uma região registra muitas hospitalizações novas de pacientes com Covid-19 e, ao mesmo tempo, possui baixa capacidade hospitalar na macrorregião. Confira, logo abaixo, a explicação completa sobre a nova regra.

A situação do Estado perante o coronavírus ainda requer muita atenção. São 13 as regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto). Em bandeira laranja, que representa risco médio, estão sete regiões – Santa Maria, Uruguaiana, Taquara, Novo Hamburgo, Guaíba, Cruz Alta e Erechim. As duas que não aderiram ao sistema de cogestão – Guaíba e Uruguaiana – estão em bandeira laranja nesta rodada.

Veja a classificação prévia da 35ª rodada em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

Para o total do Rio Grande do Sul, houve redução no número de confirmados em leitos clínicos (-14%) e em UTI (-2%). Óbitos apresentaram elevação de 3% (de 456 para 469).

Contabilizando os pacientes internados por outras causas, nesta semana, houve novamente estabilidade no número de leitos de UTI ocupados. Com a abertura de leitos e a redução dos confirmados com Covid-19 em UTI, houve elevação na razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19 para 0,55.

Vale um alerta para a região de Santa Cruz do Sul, que apresentou elevado crescimento em novos registros de hospitalizações entre a 34ª e a 35ª semana –de 23 para 38 – avanço de 65,2%.

Implementação da salvaguarda de bandeiras vermelha e preta

A partir desta semana, o Distanciamento Controlado utiliza uma nova regra que garante bandeiras de risco alto e altíssimo (vermelha e preta) quando a região tem elevada quantidade de novas hospitalizações de pacientes confirmados com Covid-19 (conforme a região de residência do paciente) e, ao mesmo tempo, está inserida em uma macrorregião com baixa capacidade hospitalar.

Esse refinamento no modelo é necessário pois, quando a capacidade hospitalar está próxima do limite, os indicadores de “velocidade do avanço” e de “variação da capacidade de atendimento” se tornam prejudicados – uma vez que, mesmo havendo demanda por leitos, eles podem não ser preenchidos devido à lotação das áreas Covid dos hospitais. Esse aprimoramento visa melhor refletir e evitar o esgotamento de leitos.

A NOVA REGRA IMPÕE

Garantia de bandeira vermelha se ambas condições forem satisfeitas:
• O Indicador 6, hospitalizações para cada 100 mil habitantes da região, apresentar bandeira vermelha ou preta;
• O Indicador 8, leitos livres/leitos Covid da macrorregião, estiver menor ou igual a 0,8.

Garantia de bandeira preta se ambas condições forem satisfeitas:
• O Indicador 6, hospitalizações para cada 100 mil habitantes da região, apresentar bandeira preta;
• O Indicador 8, leitos livres/leitos Covid da macrorregião, estiver menor ou igual a 0,3.

A salvaguarda teria gerado modificações sutis nas 34 semanas anteriores. A bandeira preta teria sido acionada somente nas regiões de Pelotas e Bagé na semana 32, o que não teria gerado modificações no mapa preliminar, uma vez que o modelo nos moldes atuais captou bandeira preta em ambas regiões naquela semana.

No que diz respeito à bandeira vermelha, em toda a série histórica até a semana 34, que até hoje apresentou 283 bandeiras vermelhas no mapa preliminar, a salvaguarda teria gerado um aumento de 10,6% nesse número (teria apresentado 314 bandeiras vermelhas se essa trava estivesse em vigor – 31 a mais). No entanto, essas bandeiras poderiam ser modificadas em caso de acolhimento de recursos das regiões.

Nesta 35ª rodada, as regiões de Capão da Canoa, Porto Alegre, Santo Ângelo, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões e Caxias do Sul receberam bandeira vermelha no mapa preliminar acionadas pela salvaguarda. A região de Bagé foi a única a ter acionada a salvaguarda de bandeira preta.

Cogestão

Das 21 regiões Covid, apenas Uruguaiana e Guaíba ainda não aderiram ao sistema de cogestão regional. As 13 regiões em bandeira vermelha podem adotar os protocolos próprios compatíveis até o nível de restrição da bandeira laranja. As cinco regiões em laranja que estão na cogestão podem utilizar protocolos de bandeira amarela, se isso estiver previsto no plano de cogestão de cada uma.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Corona Vírus

Laboratórios e universidade iniciam pesquisa de controle da pandemia em Uruguaiana

Os laboratórios Biosul e Hermes Pardini, em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), estão realizando pesquisa em nível nacional para o planejamento de medidas de controle da pandemia de Covid-19.

Em Uruguaiana, o trabalho teve início nesta segunda-feira, e consiste na coleta de sangue para detectar se a pessoa já foi contaminada pela Covid-19. A participação é gratuita e o resultado do teste será divulgado em quatro semanas, quando a pesquisa na cidade for encerrada. 

O paciente vai retirá-lo no próprio laboratório. O objetivo do projeto é planejar ações para a adoção de futuras medidas de controle da disseminação do vírus. A iniciativa é denominada EpiCovid-19 BR e tem o apoio da Prefeitura Municipal.

O estudo faz apontamentos dos níveis de contaminação baseados em faixa etária, classe social, localidades, entre outros tópicos. As coletas são residenciais. As áreas foram pré-determinadas pela UNIFESP e serão oito casas em 25 bairros – totalizando 200 residências. Os responsáveis pela análise dividem cada cidade em 25 setores diferentes.

Uruguaiana está inserida na quinta fase do estudo iniciado na segunda-feira. Nas outras quatro fases, 100 mil pessoas foram testadas em 133 municípios. Um dos indicadores mais importantes até agora foi o de que 60% das pessoas apresentaram sintomas. A universidade acredita que a quinta fase vai ser a mais importante e significativa do projeto em razão do fechamento de um ano da pandemia e por ser feita nos primeiros dias do início da vacinação em massa.

A entidade afirma que 149.280 vão ser testadas em ao menos 133 municípios – um acréscimo de 50% em relação às quatro fases anteriores. As outras cidades gaúchas que também vão participar são: Santa Maria, Pelotas, Ijuí, Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul e Porto Alegre. A EPICOIVD-19 BR é o estudo epidemiológico mais abrangente do país. O Biosul esclarece que não há nenhum tipo de agendamento ou contato a ser feito pela população para participar dos testes. 

POR: Fred Marcovici/CP

Continue lendo

Corona Vírus

São 132 recuperados de Covid-19 nesta segunda feira

Nesta segunda-feira, 25, foram registrados 71 casos positivos, sendo 45 mulheres, 25 homens e uma criança entre 03 e 89 anos. São 132 recuperados, 07 pacientes que estão na UTI covid e 08 no hospital de campanha.

São 3.861 casos confirmados, com 3.038 recuperados, 776 estão ativos (761 em isolamento domiciliar e 15 hospitalizados positivos de Alegrete) e 47 óbitos.

Foram realizados 16.409 testes, sendo 12.447 negativos, 3.861 positivos e 101 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 1.057 pessoas.

Continue lendo

Corona Vírus

Alegrete recebe 600 doses da vacina AstraZeneca/Oxford nessa segunda

Nesta segunda-feira, 25, a Prefeitura de Alegrete, por meio da Secretaria da Saúde, irá receber a segunda leva de imunização no combate a pandemia da Covid-19. As novas doses são referentes à vacina AstraZeneca/Oxford, que serão produzidas no Brasil numa parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz e o laboratório AstraZeneca.

Segundo a secretária de saúde Haracelli Fontoura, a cidade receberá a remessa de 600 doses destinadas aos profissionais da área da saúde, que não foram vacinados na primeira leva da Coronavac, e estão na linha de frente de combate ao Coronavírus.

Alegrete possui hoje 2.033 profissionais da área da saúde ativos e a perspectiva é entre 60% e 70% desse público sejam vacinados, ou seja, aproximadamente 1.200 a 1.400 pessoas.

O prefeito em exercício Jesse Trindade, acredita que “é importante dar continuidade na vacinação dos profissionais que estão atuando na linha da frente. Esperamos, em breve, poder noticiar o início da imunização da população em geral, mas, mesmo assim, não podemos deixar de cumprir as medidas de enfrentamento à pandemia, mantendo os protocolos sanitários e o distanciamento social”.

A previsão da chegada das novas doses da AstraZeneca na cidade será pela parte da tarde desta segunda-feira. O transporte será realizado pela 10ª CRS para receber as doses encaminhadas pelo governo do estado até Santa Maria.

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular