Contato

Corona Vírus

Fronteira Oeste respira…região continua na bandeira laranja

Mas já são 15 regiões com bandeira vermelha.

O aumento de regiões com classificação de alto risco (bandeira vermelha), conforme o modelo de Distanciamento Controlado, aliado às condições climáticas mais adversas dos últimos dias, fez o Rio Grande do Sul retomar um índice de isolamento social acima da média nacional.

Pelo mais recente estudo divulgado pelo Comitê de Dados para o enfrentamento da Covid-19, o percentual de gaúchos que passaram a evitar deslocamentos ficou em 43%. O levantamento se refere ao período entre os dias 28 de junho e o último sábado (4/7), a partir do monitoramento de aplicativos móveis em celulares. No Brasil, o índice ficou em 41%.

Mesmo ainda distante da recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), de um isolamento mínimo de 50%, o resultado mostra que o Rio Grande do Sul tem o melhor comportamento entre todos os demais Estados da região Sul.

Conforme a equipe que faz o acompanhamento dos dados disponibilizados pela empresa InLoco, o índice melhorou nas últimas semanas na mesma medida em que mais regiões passaram a ter maiores restrições de atividades econômicas diante do avanço da novo coronavírus.

Outro fator que contribuiu para conter as pessoas fora de casa está relacionado com as condições climáticas, em especial nos dias com registro de temperaturas mais baixas, chuva e da ocorrência do ciclone.

No início da pandemia, os gaúchos chegaram a ter índices de isolamento próximos de 60%. Porém, no mês de maio o percentual chegou a despencar para 39,4% e, ao longo do mês passado, o comportamento ficou sempre abaixo da média nacional. “Esse comportamento tem relação direta com o avanço da doença e dos casos que exigem internação em UTI. Portanto, ficar em casa sempre que possível é, até o momento, a medida mais eficaz para conter o vírus”, reforça a coordenada do Comitê de Dados, Leany Lemos.

Regiões

A região Covid-19 de Capão da Canoa, no Litoral Norte, apresentou a melhor média de isolamento na semana pesquisada: 45,3%. Percentual bastante parecido foi registrado nas áreas de Pelotas, Porto Alegre e Santo Ângelo, que passaram a figurar entre as regiões com bandeira vermelha, onde as restrições são mais rígidas.

Bagé (com o pior indicador em dias úteis, -35,8%), Cachoeira do Sul, Lajeado e Santa Cruz do Sul tiveram os piores resultados em termos de isolamento, ficando inclusive abaixo da média do país.

O modelo também comparou o comportamento dos gaúchos nos dois finais de semana mais recentes. Pelo monitoramento dos usuários de celular, no sábado e domingo passados grande parte das regiões teve médias acima de 46% e até superior a 50% em boa parte do Rio Grande do Sul.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Corona Vírus

10 positivos nesta quarta-feira em Alegrete

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Nesta quarta-feira, 21, foram registrados 10 casos positivos de Covid-19 e 12 pacientes recuperados. Os positivos são 6 homens, 3 mulheres e uma criança, com idades entre 5 e 76 anos, todos estão em isolamento domiciliar.

São 823 casos confirmados, com 661 recuperados, 145 ativos (144 em isolamento domiciliar e 01 hospitalizado) e 17 óbitos.

Foram realizados 7.719 testes, sendo 6.809 negativos, 823 positivos e 87 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 383 pessoas.

Continue lendo

Corona Vírus

Governo Estadual define regras para locais de eventos e festas infantis

Diante da redução dos indicadores de propagação do coronavírus no Rio Grande do Sul, o governo do Estado, depois de ampla debate com representantes do setor e análise do Gabinete de Crise, liberou, a partir de decreto, a realização de eventos infantis em buffet, casas de festas ou similares. O decreto que detalha os protocolos a serem seguidos foi publicado no Diário Oficial do Estado na segunda-feira (19/10).

Esses eventos só poderão ser realizados em regiões que estejam há pelo menos 14 dias seguidos em bandeira laranja ou amarela. Em regiões Covid em bandeira amarela, o número máximo de participantes, entre público e trabalhadores, é de 100 pessoas. Na bandeira laranja, o número máximo permitido é de 70 pessoas. Em ambas as classificações de risco, a duração das festas deve ser de até quatro horas.

Assim como os demais eventos já liberados pelo Estado, a realização só poderá ocorrer em cidades que autorizaram e que estão no processo de retomada escolar. A condição foi estabelecida como forma de elencar uma prioridade na retomada de atividades.

Além disso, em ambas as bandeiras, os organizadores dos eventos devem seguir as normas estabelecidas pelas portarias 319 e 617 da Secretaria da Saúde, sobre serviços de alimentação e eventos, e o Decreto Estadual 55.240.

• Clique aqui e acesse o Decreto Nº 55.548, de 19 de outubro de 2020

Confira as regras que devem ser seguidas para realização de festas infantis em regiões de bandeira amarela e bandeira laranja:

BANDEIRA AMARELA
• Máximo de 100 pessoas (trabalhadores e público), respeitando o teto de ocupação e o distanciamento estabelecido no Modo de Atendimento
• Duração máxima do evento (para o público): 4 horas

BANDEIRA LARANJA
• Máximo de 70 pessoas (trabalhadores e público), respeitando o teto de ocupação e o distanciamento estabelecido no Modo de Atendimento
• Duração máxima do evento (para o público): 4 horas

PARA AMBAS AS BANDEIRAS
• Modo de operação: teletrabalho/presencial restrito
• Elaboração de projeto (croqui e protocolos), disponível para fiscalização e/ou autorização, quando couber
• Circulação de ar cruzada, com manutenção de janelas e portas abertas, independentemente do uso de equipamento de climatização
• Adesivagem do piso demarcando o devido distanciamento social nas filas
• Distanciamento mínimo de dois metros entre mesas, organizadas de modo a evitar cruzamento e/ou aglomeração entre clientes e entre trabalhadores
• Higienização de todas as áreas comuns (corredores, portas, elevadores, banheiros, vestiários, grades, mesas e assentos das instalações e superfícies de contato) com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar, antes da abertura do evento e após o término
• Higienização a cada uma hora de superfícies de contato (brinquedos, mesas, maçanetas, corrimão, balcões etc.) e a cada duas horas de banheiro e áreas comuns de maior circulação, com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar
• Higienização de brinquedos a cada uso, com álcool 70% e/ou solução sanitizante de efeito similar
• Dispor de kit completo nos banheiros (álcool gel 70% e/ou sanitizantes de efeito similar, sabonete líquido, toalhas de papel e lixeira com tampa com acionamento sem uso das mãos)
• Fluxo único para entrada e saída do local, bem como de entrada e saída dos brinquedos
• Alimentação e bebidas conforme Portaria SES nº 319
• Alimentos, talheres e guardanapos embalados individualmente/
• Vedado alimentos expostos (mesa de doces e salgados) e bebedouros verticais

MODO DE ATENDIMENTO EM REGIÕES  DE BANDEIRA AMARELA OU LARANJA
• Máscara de uso obrigatório sempre, com exceção do momento do consumo de alimentos ou bebidas, repondo imediatamente depois
• Registro dos contatos de todos os presentes (trabalhadores e público), para rastreabilidade em caso de posterior confirmação ou suspeita de Covid-19
• Reforço constante na comunicação visual e sonora dos protocolos (cartazes, vídeos, áudios e monitores)
• Distanciamento de dois metros na interação de artistas com público, vedado o contato físico
• Disponibilização de álcool em gel em diferentes locais, para uso de trabalhadores e público
• Disponibilizar álcool gel e monitor orientando sobre o uso da máscara e a correta higienização das mãos antes e depois de acessar os brinquedos

Texto: Suzy Scarton
Edição: Marcelo Flach/Secom

Continue lendo

Corona Vírus

Semana abre com mais 17 novos casos positivos

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Nesta segunda-feira, 19, foram registrados 17 casos positivos de Covid-19 e 12 pacientes recuperados. Os positivos são 9 mulheres, 7 homens e uma criança, com idades entre 01 e 83 anos, todos estão em isolamento domiciliar.

São 800 casos confirmados, com 634 recuperados, 149 ativos (146 em isolamento domiciliar e 3 hospitalizados) e 17 óbitos.

Foram realizados 7.572 testes, sendo 6.701 negativos, 800 positivos e 71 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 345 pessoas.

Continue lendo

Popular