Contato

Corona Vírus

Em nota, Fecomércio pede cautela ao Governador

 

Alegando preocupação com o aumento de hospitalizações por Covid-19 ao longo da última semana, o governo estadual fez alterações em diversos critérios para a definição de bandeiras do Plano de Distanciamento Controlado, que provocaram o fechamento de inúmeras empresas em quatro regiões do estado.

Sobre essas medidas, a Fecomércio-RS não pode deixar de observar uma desproporcionalidade evidente, causada pela excessiva abrangência e arbitrariedade de critérios no cálculo das bandeiras regionais.

Desde o início da pandemia, alertamos para o risco de medidas de restrição ao funcionamento de empresas que fossem desproporcionais à sua efetiva necessidade.

Com a determinação de fechamento de empresas desde março, apesar da possibilidade de suspender ou flexibilizar contratos de trabalho (que já foi utilizada com quase 500 mil trabalhadores gaúchos), foram destruídos, no Rio Grande do Sul, 90 mil postos, apenas formais, nos últimos meses de março e abril.

Além de representar uma ameaça direta a mais de 90 mil vidas e famílias gaúchas, o número, que deve crescer após o esgotamento das alternativas de flexibilização propostas pelo governo federal, somado ao grande volume de trabalhadores autônomos e informais que restaram sem renda, projeta uma crise econômica sem precedentes a ser vivenciada em nosso estado.

“Desse modo, reforçamos nossa visão de que as políticas de combate à pandemia de Covid-19 devem se manter estritamente ajustadas às efetivas necessidades de cada região para manter o avanço dentro das suas capacidades de atendimento hospitalar. Para atingir esse objetivo, em oposição à alteração arbitrária e abrangente de critérios do plano de distanciamento para determinar restrições em larga escala, cujos custos são extremamente elevados e atingem toda a população, nos parece mais adequada uma análise aprofundada das causas das novas hospitalizações em algumas regiões”.

O número absoluto de casos em acompanhamento no estado atualmente já permite que, com uma investigação de hábitos e contatos passados dos contaminados, sejam adotadas medidas de isolamento mais precisas e eficientes do que fechamentos gerais de locais onde o vírus não está circulando.

Os estabelecimentos de comércio e serviços que foram liberados para abertura com a implementação do plano o fizeram acatando todos os protocolos de segurança obrigatórios, além de outros adotados espontaneamente por recomendação, inclusive, da Fecomércio-RS.

Esses protocolos, como o distanciamento entre pessoas, a utilização de EPIs e a higienização constante, minimizam inquestionavelmente os riscos de contágio e alteram de modo significativo o cálculo do índice setorial adotado pelo plano estadual, responsável por atribuir diferença de tratamento a diversas atividades econômicas.

Não parece ser à toa que, após 6 semanas de implantação das medidas, o Rio Grande do Sul, de modo geral, seja um destaque positivo acerca da velocidade de expansão da pandemia, apresentando, nas últimas 3 semanas, redução à metade dos casos em acompanhamento de Covid-19.

A cautela já incorporada pelas pessoas e pelas empresas também parece estar contribuindo para a redução no contágio de outras doenças, provocando resultados que podem parecer surpreendentes.

Conforme a Central de Informação do Registro Civil, o volume total de óbitos por doenças respiratórias no Rio Grande do Sul teve decréscimo entre os meses de março e maio, na comparação com o ano passado, quando não existia a Covid-19.

Embora tenham ocorrido 264 óbitos por Covid-19 (confirmados ou suspeitos), em 2020, há uma redução no número total de óbitos de 2,4% (463 falecimentos a menos). Isso ocorre pois, apesar das mortes por Covid-19, que não ocorreram em 2019, há uma redução nas mortes por outras doenças do aparelho respiratório.

Há redução, por exemplo, de 9,2% nos óbitos por pneumonia (menos 297 pessoas) e de 13% nos óbitos por insuficiência respiratória (menos 219 pessoas). Esse comportamento se repete de forma similar para todos os três meses e já havia sido observado de forma restrita à cidade de Porto Alegre, por estudo da Universidade de Princeton (EUA).

Não se pode descartar, é claro, também como uma hipótese razoável para explicar por que a pandemia não elevou o número de mortes no estado, em adição à incorporação das medidas de segurança que vêm sendo adotadas pela população e pelas empresas, o fato de que a Covid-19 provoca consequências desproporcionais sobre pessoas que possuem a saúde já debilitada por outros motivos, que podem ter vindo a óbito em 2019 mesmo sem a incidência da doença. 

Diante dos argumentos expostos, a Fecomércio-RS apela para a adoção de maior cautela, por parte do governo estadual, na alteração de critérios do plano de distanciamento controlado e na adoção de medidas de restrição generalizada às atividades econômicas.

Acreditamos que, em oposição ao proposto no último final de semana, é possível que sejam adotadas medidas mais precisas de combate à pandemia, cujo custo econômico e social é menor e cuja efetividade para a obtenção de seus objetivos é muito superior.

Há que se destacar que, conforme os próprios resultados do estudo conduzido pela UFPEL comprovam, ainda há tempo para que se adotem medidas pontuais relacionadas aos casos identificados de Covid-19, visto que sua prevalência na população gaúcha ainda é muito baixa.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Corona Vírus

Registrados 7 casos positivos de Covid-19 e 2 pacientes recuperados

Nesta quinta-feira, 24, foram registrados 7 casos positivos de Covid-19 e 2 pacientes recuperados. Os positivos são 4 mulheres e 3 homens, com idades entre 28 e 76 anos, todos em isolamento domiciliar.
São 587 casos confirmados, com 520 recuperados, 52 ativos (51 em isolamento domiciliar e 01 hospitalizado) e 15 óbitos.
Foram 6.292 testes realizados, sendo 5.705 negativos e 587 positivos. Neste momento não há pessoas aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 170 pessoas.
Continue lendo

Corona Vírus

O óbito do fim-de-semana deu negativo para Covid-19

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Nesta segunda-feira, 21, foram registrados 8 casos positivos de Covid-19 e 2 pacientes recuperados em Alegrete. Os positivos são 4 mulheres e 4 homens, com idades entre 15 e 63 anos, 6 estão em isolamento domiciliar e 2 hospitalizados.

Agora são 568 casos confirmados, com 500 recuperados, 53 ativos (49 em isolame e 4 hospitalizados) e 15 óbitos.

São 6.192 pessoas testadas, sendo 5.617 negativos, 568 positivos e 7 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 189 pessoas.

O resultado do exame da mulher que veio a óbito no domingo deu negativo. Nesta segunda, ocorreu o óbito de um homem que estava hospitalizado, foi coletado material e enviado ao laboratório.

Continue lendo

Corona Vírus

Paciente de São Borja morre de Covid-19 na Santa Casa

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Neste sábado , 19, foi registrado um caso positivo de Covid-19. Trata-se de um homem de 38 anos que está em isolamento domiciliar. Também neste sábado, uma mulher de 60 anos, da cidade de São Borja, que estava internada na UTI Covid, veio a óbito.

Com isso, são 560 casos confirmados, com 498 recuperados, 47 ativos (45 em isolamento domiciliar e 2 hospitalizados) e 15 óbitos.

São 6.151 pessoas testadas, sendo 5.581 negativos, 560 positivos e 10 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 180 pessoas.

Continue lendo

Popular