Contato

Corona Vírus

Confira o impacto da bandeira vermelha na rotina de Alegrete

BANDEIRA VERMELHA: O QUE MUDA

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Redução no teto de operação (número máximo permitido de trabalhadores presentes ao mesmo tempo no ambiente de trabalho, aplicado a serviços com quatro ou mais trabalhadores) dos serviços públicos não essenciais, restrito a 25% dos trabalhadores.
Serviço de habilitação de condutores com operação restrita a apenas 50% dos trabalhadores.
Serviços públicos essenciais, como segurança e manutenção de ordem pública, política e administração do trânsito, bem como atividades de fiscalização e inspeção sanitária, não têm a operação afetada com a bandeira vermelha.

AGROPECUÁRIA
Produção e serviços relacionados à agricultura, pecuária e produção florestal sofrem redução no teto de operação a 50% dos trabalhadores.

ALOJAMENTO E ALIMENTAÇÃO
Restaurantes, padarias e lanchonetes deixam de operar na modalidade presencial, ofertando serviços apenas por meio de tele-entrega, pegue e leve ou drive-thru.
Hotéis, por sua vez, passam a operar com apenas 40% dos quartos disponíveis.

COMÉRCIO
Na bandeira vermelha, o comércio de rua e em centros comerciais ou shopping é suspenso, e os estabelecimentos devem ficar fechados. O mesmo ocorre para o comércio de veículos.
Somente poderão operar estabelecimentos que comercializem itens essenciais, como medicamentos, produtos de higiene pessoal, alimentação e transporte. Mesmo assim, farmácias, supermercados e postos de gasolina têm operação reduzida a 50% dos trabalhadores.
Serviços de manutenção e reparação de veículos automotores passam a operar com apenas 25% dos trabalhadores.
Comércio atacadista de itens não essenciais deixa de atender na modalidade presencial. O teto de operação é reduzido a 25% dos trabalhadores, com atendimento exclusivo via tele-entrega, pegue e leve ou drive-thru.

EDUCAÇÃO
A partir do dia 15 de junho, algumas atividades de ensino serão retomadas nas bandeiras laranja e amarela. Na bandeira vermelha, portanto, as atividades de cursos livres ficam suspensas. Nas universidades, somente são mantidas em funcionamento na bandeira vermelha as atividades de laboratório necessárias à manutenção de seres vivos. Demais atividades de ensino seguem na modalidade remota, exclusivamente.

INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
Construção de edifícios, obras de infraestrutura e serviços de construção, por serem considerados essenciais, sofrem apenas redução na operação, passando de 100% para 75% dos trabalhadores na bandeira vermelha.

INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E EXTRATIVA
Passam a operar com apenas 50% dos trabalhadores, à exceção das consideradas essenciais, como alimentação, bebidas, fármacos e de extração de petróleo e minerais, que têm o teto reduzido de 100% para 75% de trabalhadores.
Para atender a essa restrição no total de trabalhadores presentes ao mesmo tempo no estabelecimento, sugere-se que, além do teletrabalho, as indústrias adotem regimes de escala, rodízio e/ou turnos alternativos para a manutenção da produção.

SAÚDE
No campo da saúde, vital ao enfrentamento da pandemia, os serviços não são afetados. No entanto, recomenda-se a postergação de consultas eletivas.
Serviços de veterinária, porém, têm a atividade reduzida para 50% dos trabalhadores.

SERVIÇOS
Com a bandeira vermelha, ficam fechadas todas as atividades relacionadas à arte, cultura e lazer, incluindo academias de ginástica, clubes sociais e esportivos.
Ficam vedadas também as atividades de captação de áudio e vídeo em teatros e casas de espetáculo, de empréstimo e consulta de itens em museus, bibliotecas e acervos, bem como os ateliês de arte, os quais recentemente foram liberadas nas bandeiras amarela e laranja em teatros.
Parques, jardins botânicos e zoológicos são fechados para atendimento ao público, sendo permitida a operação de 50% dos trabalhadores para manutenção dos espaços e seres vivos.
Serviços religiosos em templos igrejas e similares ficam fechados, não podendo receber o público de fiéis. No entanto, segue sendo permitida a captação de áudio e vídeo dos serviços religiosos, como missas.
Serviços de higiene pessoal (cabeleireiro e barbeiro) não podem abrir na bandeira vermelha, assim como agências de viagens.
Serviços de imobiliários, de consultora e administrativos passam a atender somente via teleatendimento, com no máximo 25% dos trabalhadores presentes no estabelecimento.
Serviços bancários e de advocacia permanecem com atendimento presencial restrito, com no máximo 50% dos trabalhadores.
Por fim, serviços de lavanderia e de reparo e de manutenção de objetos, considerados essenciais, permanecem abertos aos clientes, mas com teto de operação reduzido a 25% dos trabalhadores.

SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
Serviços de edição e edição integrada à mídia impressa, bem como de produção de vídeos e programas de televisão, seguem autorizados a funcionar, com teto de operação reduzido a 50% dos trabalhadores. A atividade de rádio e televisão, porém, não sofre alteração, seguindo com operação de 75% dos funcionários.

SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA
Serviços de utilidade pública não sofrem alteração na operação com a vigência da bandeira vermelha, dado sua essencialidade. Seguem atuando com 100% dos trabalhadores.
No entanto, mesmo com 100% de operação permitida, esses estabelecimentos devem respeitar o número máximo de pessoas por ambiente permitido com o distanciamento mínimo obrigatório entre pessoas, isto é, respeitar o teto de ocupação.
Em escritórios pequenos, o limite de ocupação de um ambiente pode levar a um estabelecimento ter menos trabalhadores atuando presencialmente de forma simultânea, mesmo com a operação de 100% autorizada.

TRANSPORTES
O transporte de passageiros passa a operar com apenas 50% dos assentos da janela disponíveis. Sendo ambiente de aglomeração e propenso à disseminação do vírus, esse protocolo de operação deve ser estritamente respeitado nas bandeiras de maior risco.

Texto: Suzy Scarton e equipe Seplag
Edição: Marcelo Flach/Secom

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Corona Vírus

Mais um óbito e 49 casos novos nesta quarta-feira

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Nesta quarta-feira, 25, Alegrete registrou o vigésimo primeiro óbito por Covid-19. Uma idosa de 83 anos que estava internada na UTI Covid desde o dia 14 de novembro.

Também foram registrados 49 casos positivos e 20 recuperados. Os positivos são 25 mulheres e 23 homens e uma criança, com idades entre 01 e 78 anos. Todos estão em isolamento domiciliar. Dois pacientes que estavam hospitalizados passaram para o isolamento domiciliar.

São 1.703 casos confirmados, com 1.181 recuperados, 501 ativos (488 em isolamento domiciliar e 13 hospitalizados positivos de Alegrete) e 21 óbitos.

Dos 13 internados, 6 estão na UTI Covid e 7 no Hospital de Campanha.

Foram realizados 10.534 testes, sendo 8.727 negativos, 1.703 positivos e 104 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 756 pessoas.

Continue lendo

Corona Vírus

Nova reedição do edital da bandeira vermelha é mais do mesmo

A Prefeitura de Alegrete reeditou na tarde desta terça-feira, o Decreto que havia publicado na segunda-feira, com notas mais claras em alguns ítens, como no caso das academias. O novo texto, praticamente é mais do mesmo, não altera em nada o conteúdo do que foi publicado segunda-feira, para o município ficar adequado ao retorno da Bandeira Vermelha na região.

Segunda-feira chegou haver um protesto acanhado de alguns comerciantes da área de gastronomia, bares e restaurantes, que percorreram o centro da cidade num buzinaço e se concentraram mais tarde no Centro Administrativo. Eles foram recebidos pelo Executivo, que informou que o horário seria até às 21h. Até a semana passada o horário deste segmento funcionava até as 23h com a tolerância de meia hora à mais.

O aumento vertiginoso de casos durante o período da campanha eleitoral é que irritou os comerciantes que não aceitam o fato de serem punidos por supostas aglomerações, quando durante todo o mês de outubro até o dia 15 de novembro, havia denúncias de centenas de cabos eleitorais nos bairros da cidade.

O fato é que o corpo clínico da Santa Casa de Caridade pressionou o Prefeito Márcio Amaral voltar a restringir a circulação de pessoas na cidade com o fechamento de alguns setores da economia local. Desde quinta-feira passada a UTI Covid-19 está lotada e foi preciso transladar um paciente de Alegrete para São Gabriel.

Decreto nº 842-2020 – Bandeira Vermelha – atualizado até o 844

 

 

Continue lendo

Corona Vírus

Mais 40 casos positivos. A média se mantém em alta

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO
Nesta terça-feira, 24, foram registrados 40 casos positivos de Covid-19 e 39 recuperados. Os positivos são 26 mulheres e 14 homens, com idades entre 20 e 83 anos. Todos estão em isolamento domiciliar. Um paciente que estava em isolamento domiciliar foi internado.
São 1.654 casos confirmados, com 1.161 recuperados, 473 ativos (457 em isolamento domiciliar e 16 hospitalizados positivos de Alegrete) e 20 óbitos.
Dos 16 internados, 7 estão na UTI Covid e 9 no Hospital de Campanha.
Foram realizados 10.373 testes, sendo 8.635 negativos, 1.654 positivos e 84 aguardando resultado. Em observação com síndrome gripal são 741 pessoas.
Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular