Contato

Polícia

Garçom que, supostamente, fazia da casa ponto de venda é preso por tráfico

Um garçom foi preso no feriado de Tiradentes por tráfico de drogas e porte ilegal de armas. Além das drogas, ele possuía objetos sem procedência, armas, munição e uma considerável quantia em dinheiro. Denúncias já tinham sido feitas sobre o local onde ele mora. A abordagem que deu início ao desfecho do caso teve início durante patrulhamento na Rua Daltro Filho, no início da tarde de sábado (21).

Por volta das 14h30, dois homens estavam em uma moto e o carona levantou suspeita nos policias. Quando a dupla se deslocou para um beco, em direção ao Bairro Macedo, a guarnição a surpreendeu. O carona da moto jogou dentro do pátio de uma casa um pacote. O jovem, de 21 anos, foi detido e na revista pessoal foram achados R$600. Buscas foram realizadas no local e uma pedra de crack foi encontrada nos fundos da casa. Ao ser questionado sobre a origem da droga, o rapaz afirmou que faria uma entrega.

Ele contou que em sua residência, na Cohab Restinga, haviam mais pedras. Ao chegarem no local indicado, os policiais encontraram 49 pedras de crack – prontas para comercialização e duas de 60 g, 18g de maconha, uma balança e vários objetos sem procedência.

Segundo a ocorrência, os itens pode ter sido usados como moeda de troca para compra de drogas. Entre os produtos estavam: nove celulares, uma máquina de cortar cabelo, um binóculo, um PlayStation 2 com 1 manete, dois eixos de bicicleta, uma faca, R$122 reais em moedas e três estojos de munição calibre 38. Em um rack foram encontrados uma pistola original calibre 22, e um revólver, também original, calibre 32 – além de oito munições dentro de uma meia, uma calibre 44 e sete calibre 22.

O rapaz, que já possui passagem pela polícia, foi encaminhado ao Presídio Estadual de Alegrete.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Polícia

Adolescente morre no lago do Parque dos Patinhos

Ainda está imprecisa a causa da morte do adolescente.  Roni dos Santos Luiz de 15 anos. na madrugada deste domingo, no lago do Parque dos Patinhos.

A mãe sabe que ele estava acompanhado de pelo menos dois vizinhos. Ela foi chamda em casa porque o filho teria sofrido um acidente. Ela ficou espantada porque o filho saíra, ontem à noite, pra jogar free fire na casa de um adolescente, vizinho do bairro Nilo Gonçalves onde as famílias moram.

Chegando no hospital foi informada que o filho sofrera um choque elétrico e não resistiu.

O caso ainda está sendo diligenciado pela Polícia Civil e a verdadeira causa da morte será conhecida depois da necropsia. O local foi isolado pela Guarda Municipal.

Continue lendo

Manchete

Ministério Público-RS instaura procedimento para investigar atuação da PM na fiscalização de empresas privadas de segurança

O Ministério Público do Rio Grande do Sul instaurou, nesta sexta-feira, 27, inquérito civil para colher informações sobre a atuação da Brigada Militar na fiscalização de empresas privadas de segurança. O expediente foi motivado pelo homicídio de João Alberto Silveira Freitas, cometido nas dependências de supermercado do grupo Carrefour no último dia 19.

Conforme o promotor de Justiça Cláudio Ari Pinheiro de Mello, da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Porto Alegre, “a intenção é entender como é feita essa fiscalização, já que é dever legal da corporação inspecionar esses prestadores de serviço. As circunstâncias em que ocorreu a morte de João Alberto Freitas não são caso isolado e podem indicar a ineficiência da fiscalização dessa atividade”, pontuou.

O Ministério Público deu 10 dias para que a Brigada Militar informe o detalhamento da estrutura de pessoal e de recursos materiais no Grupamento de Supervisão de Vigilância e Guardas e o número de empresas de segurança privadas cadastradas no órgão, em todos os municípios do Estado; e se a corporação dispõe de política pública de conscientização sobre o combate ao racismo e ao racismo estrutural na atividade de segurança privada no Estado.

O inquérito civil da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Porto Alegre, conduzido em conjunto com a Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos da Capital e em diálogo com a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, corre em paralelo a outros expedientes que tramitam nas respectivas esferas de competência.

A seguir, sonora do subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Marcelo Lemos Dornelles, sobre a atuação do Ministério Público do Rio Grande do Sul no caso envolvendo a morte de cliente nas dependências de um supermercado do grupo Carrefour no dia 19 deste mês:

Continue lendo

Manchete

Polícia Civil lança o aplicativo “PC Alerta!”

Primeiro aplicativo lançado pela Polícia Civil traz alertas sobre golpes e ensina a não cair no conto do vigário

Proteger-se dos golpes que mais vitimaram gaúchos nos últimos anos agora ficou mais fácil. A partir desta terça-feira (24), usuários do sistema Android podem fazer o download para celular do primeiro aplicativo desenvolvido pela Polícia Civil, o PC Alerta!.

Por enquanto disponível apenas no Play Store, o app é baseado na cartilha sobre golpes virtuais, lançada pela Divisão de Comunicação Social (DCS) da Instituição em junho desse ano. “Os 15 golpes preferidos dos estelionatários têm seu modus operandi esmiuçado pelo aplicativo, que também traz dicas de como não cair no conto do vigário”, explica a idealizadora do app e diretora da DCS, a delegada Viviane Nery Viegas.

Golpes como o da extorsão sexual e da clonagem de cartões bancários estão entre aqueles que ganham destaque no app. No primeiro caso, as vítimas, geralmente homens solitários e de meia idade, são seduzidas por meio de um perfil falso em uma rede social. Convencidos a trocar fotos íntimas com o estelionatário, que, até então, assume a identidade de uma mulher jovem e bonita, passam a ser chantageados após a troca de imagens. As ameaças vão desde vazar as “nudes” na internet a enviar para familiares da vítima.

A clonagem de cartões bancários, por sua vez, tem como principal alvo os idosos. Nele, a vítima é convencida por um falso atendente de agência bancária de que seu cartão foi clonado. Por telefone, o golpista coleta a senha da vítima e informa que um motoboy irá até ela para recolher o cartão e fazer o devido cancelamento do mesmo. Só que o motoboy é, na verdade, comparsa do estelionatário.

 

Versão Web

Já quem prefere conferir o aplicativo pela versão Web, pode acessar o endereço https://applink.com.br/pcalerta e contar com todas as funcionalidades já disponíveis na versão para Android, que podem ser acessadas através do QR Code abaixo.

 

QR Code

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Delegacia Online

O PC Alerta traz ainda um link direto para o site da Delegacia Online (www.delegaciaonline.rs.gov.br), o que facilita para o cidadão realizar denúncias, o próprio registro de uma ocorrência envolvendo esses golpes, ou mesmo outros delitos.

 

2ª fase

Empenhada em difundir o novo aplicativo para o maior número de usuários possíveis, a Chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, prevê, para breve, a disponibilização do aplicativo para o sistema iOS, da Apple, numa segunda fase de lançamento. “Entendemos o ‘PC Alerta!’ como um meio de educar e alertar os cidadãos sobre aqueles crimes que já não deveriam vitimar tantas pessoas”, considera.  “Está mais do que na hora de entendermos que não existem atalhos nem soluções mágicas para os problemas e que o tipo de criminoso que aplica golpes é aquele carismático, sedutor, que fala justamente o que queremos ouvir ou oferece atalhos fáceis e praticamente irrecusáveis”, pontua.

Continue lendo

Popular