Contato

Em Campo

Abertas às inscrições do Terneirão de Alegrete

O Sindicato Rural de Alegrete lançou mais um evento do seu calendário anual. A entidade está com as inscrições abertas até o dia 21 de maio o Terneirão do Alegrete, 11ª edição, que ocorre de forma virtual e presencial no dia 10 de junho, no Parque Dr. Lauro Dornelles. 

 

São aceitos terneiros, castrados e inteiros, de raça ou cruza, terneiras e vaquilhonas. A feira promete movimentar o setor com ampla oferta de animais e amplos financiamentos bancários.  A transmissão será virtual pelo youtube do Sindicato Rural.

De acordo com o presidente do SRA, Luiz Plastina Gomes,  “estamos às vésperas de mais um grande evento da pecuária de corte do RS. O Terneirão do Alegrete, que oferecerá, mais uma vez, uma super oferta de qualidade de genética reconhecida no estado e no brasil”.

Segundo ele, será oportunizado aos invernadores a chance de adquirirem animais com excelente padrão zootécnico, que produzem uma das melhores carnes do Brasil e que irão produzir genética de qualidade. “Assim podemos dar a certeza de oferecer aos compradores qualidade e não apenas quantidade”, aposta.

O Terneirão se destaca por ter quase 50% de compradores de outros municípios. “Isto prova a procura pela qualidade do nosso produto. Esperamos novamente os produtores para efetuarem bons negócios. Deixamos, então, o convite aos produtores para se inscreverem até 21 de maio e estarem conosco”, convida o presidente.

Informações pelos fones 3422.4577 ou whatsapp 99631-0916, falar com a Carla Quinteiro. 

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Em Campo

Pecuaristas podem ter caído em golpe de R$ 30 milhões com a venda de gado

Produtores rurais de pelo menos 10 cidades da Região Central podem ter sido vítimas de um dos maiores golpes da história do agronegócio do país. O prejuízo com a venda de gado para um atravessador, que não pagou pelos animais, ultrapassaria R$ 30 milhões.

Conforme a reportagem do Bei apurou, o negociador de gado, que seria natural de Caçapava do Sul mas morador de Formigueiro, mantinha um esquema de compra e venda de gado suspeito de ser, na verdade, uma fraude. Ele adquiria gado de produtores para pagamento a prazo e venderia os animais a menor preço em arremates para pagamento à vista.

Inicialmente, o sistema estaria funcionando. Porém, com o passar do tempo, os prazos para pagamento do gado foram vencendo e a bola de neve foi aumentando. A história foi contada pelas próprias vítimas à reportagem do Bei na tarde de ontem. A Polícia Civil investiga as mais de 10 denúncias feitas contra o suspeito, que está desaparecido e não atende ligações nem responde mensagens no WhatsApp.

Ainda muito abalado, um produtor de 45 anos diz ter sofrido prejuízo de R$ 4,5 milhões. A vítima diz que ainda não acredita no que está acontecendo. Há quase 30 anos trabalhando no ramo, ele conta que o negociador era considerado como um amigo e que negociava gado e frequentava a casa da vítima há mais de dois anos.

Após vários bons negócios, a vítima negociou 542 cabeças de gado com o suspeito. Dessas, 342 novilhas estavam prenhas. O negociador têm até este domingo para pagar, mas o produtor teme não receber.

– Eu não tinha o que falar dele. Em questão de 15 dias, ele fez a minha vida dar um giro de 360 graus. Fui na delegacia e tinham seis pessoas lá registrando ocorrência do mesmo caso. Eu estou sem chão. Não tenho força para nada – revela.

Segundo o pecuarista, todos os clientes do atravessador tinham confiança nele. Por isso, o homem obtinha crédito em todas as praças de leilão:

– Eu estou quebrado, não tenho como me levantar. Tenho que fechar as porteiras da fazenda. O que estou sentindo é o pior possível. Ele não levou só o gado, ele levou uma vida inteira de trabalho. Depois de vender para ele, eu comprei muito terneiro e agora tenho que honrar a minha palavra. As pessoas de quem eu comprei não têm nada a ver com o golpe que eu levei.

 

OUTROS ESTADOS
O suspeito já teria vendido muitos animais adquiridos na região para frigoríficos do Mato Grosso e de Goiás. Por isso, as vítimas temem nunca receber o dinheiro pelo gado.

Outro pecuarista, de 70 anos, e o filho contam que perderam R$ 116 mil com a venda de 43 animais. Esse foi o primeiro negócio malfeito pela família ao longo de 70 anos e, também, o primeiro realizado com o atravessador de Formigueiro.

– Tenho esperança de receber, mas é meio difícil. Acho que ele vendeu o gado, recebeu e ficou com o dinheiro – diz o idoso.

As delegacias da Polícia Civil de Formigueiro e Caçapava do Sul confirmam as investigações, mas não revelam detalhes. 

VÍTIMA ESTÁ SUPRESA
Outro produtor rural de Formigueiro admite estar surpreso com as denúncias envolvendo o atravessador, já que negociava havia muito tempo com o suspeito. A vítima ainda não registrou um boletim de ocorrência na delegacia.

– Não se tem o que dizer da família dele. Comecei comprando gado dele e depois passei a vender. Não sei se ele se perdeu com as contas, ou o que aconteceu – revela.

Conforme o pecuarista, todas possíveis vítimas estão tentando entender o que está acontecendo, já que o atravessador sempre pagava corretamente.

– Vou fazer uma ocorrência porque não se sabe o que aconteceu. Ele sempre me pagou certinho, parcelava, mas de uma semana para cá, estourou – conta.

Segundo o produtor, o atravessador pagou com um cheque. Ele só irá retirar a queixa na polícia caso receba o dinheiro.  

Foto: Arquivo Pessoal
Suspeito participaria de remates de animais, mas faria a compra por valores acima do mercado e venderia por menos

AMIZADE COM JOGADOR E NOVO REI DO GADO
O homem suspeito de aplicar o golpe milionário contra produtores de gado da região levaria uma vida simples antes de ingressar no ramo de compra de venda de animais. Morador de Formigueiro, ele teria ingressado na atividade há cerca de dois anos, em cidades como Manoel Viana e São Francisco de Assis. 

O impulso financeiro para poder adquirir animais teria vindo da suposta amizade com um jogador gaúcho que teria ganho muito dinheiro atuando em clubes do Exterior. A participação do atleta ainda é mera especulação, e não se sabe se o suspeito de aplicar golpes usaria o nome do jogador apenas para avalizar seus negócios e conquistar a confiança de produtores rurais.

No começo de 2021, o suspeito, que tem na faixa de 30 anos, teria começado a comprar animais em remates em mais municípios, entre eles Lavras do Sul, Caçapava do Sul, São Sepé, Restinga Sêca, Formigueiro, Júlio de Castilhos e Rosário do Sul. Foi quando a vida pessoal teria começado a mudar. Um morador de Formigueiro conta que a família do homem é simples e honesta. Mas chamou a atenção que o atravessador comprou uma caminhonete nova e passou a demonstrar um padrão de vida mais elevado. Sinais de que os negócios iam bem. 

Há poucos meses, em uma tarde, o suspeito teria comprado uma grande quantidade de gado em Formigueiro. Uma operação logística foi montada para o transporte dos animais, o que chamou a atenção da população.

– Em uma tarde, vi passar oito carretas carregadas na frente de casa – revela o morador, surpreso com a cena incomum para o município. 

COMPRA DE CASA
Não demorou para os produtores começarem a chamá-lo, informalmente, de novo rei do gado gaúcho, em referência ao famoso personagem Bruno Mezenga, interpretado pelo ator Antonio Fagundes na novela O Rei do Gado, da Rede Globo, na década de 1990.

Recentemente, o suposto golpista teria comprado uma casa no valor de mais de R$ 1 milhão em Formigueiro, negócio que não teria sido concretizado devido às desconfianças cada vez maiores em relação ao seu nome. Desaparecido há alguns dias, seu paradeiro é desconhecido. Na região, circula a informação de que o “rei do gado” estaria na Europa.  

Continue lendo

Em Campo

Alguns clientes rurais da RGE deverão fazer recadastramento

Os clientes da RGE que moram em áreas rurais e estão com pendências no seu cadastro, devem fazer o seu recadastramento a partir de hoje (01/06) com a distribuidora para continuarem a usufruir dos benefícios tarifários na conta de energia. A revisão cadastral está prevista pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), na resolução 901/2020.
A medida da Aneel regulamenta a manutenção dos benefícios tarifários concedidos aos consumidores da classe rural, irrigantes e aquicultores, de serviços públicos de água, esgoto e saneamento, e estabelece que a cada três anos seja realizada a revisão para manter o cadastramento atualizado e garantir que os clientes que atendem às exigências recebam os descontos na conta de luz.
O primeiro ciclo de recadastramento dos consumidores das quatro distribuidoras do Grupo CPFL (CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE) começa em 2021. Quem comprovar a atuação no ramo seguirá com os benefícios tarifários. Neste ano, cerca de 52 mil clientes serão avisados sobre a necessidade de atualizar os dados na distribuidora.

Continue lendo

Em Campo

Estados com agronegócio forte darão o impulso à economia

Os estados cujas economias são atreladas ao agronegócio devem registrar em 2021 um crescimento maior do que o nacional e liderar a retomada da economia brasileira até 2022, segundo levantamento da MB Associados.

A consultoria estima que 15 estados deverão ter um avanço acima da média nacional neste ano, sendo 8 deles das regiões Centro-Oeste e Norte, além de grandes produtores agrícolas do Nordeste como Piauí e Bahia.

O maior crescimento deverá ser observado no Mato Grosso (4,97%) e o menor no Rio de Janeiro (2%). Para o PIB do Brasil a projeção é de um crescimento de 3,2%, após o tombo de 4,1% em 2020. 

“A tendência que já temos visto nos últimos anos e que permanece é que estados com uma base de commodities fortes tendem a ter uma recuperação um pouco mais forte, como é o caso dos estados do Centro-Oeste especialmente”, afirma o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale.

Entre os primeiros colocados do ranking, Amazonas e Rio Grande do Norte são os únicos estados cuja projeção de crescimento não está relacionada diretamente ao agronegócio, e sim a uma base de comparação mais fraca, uma vez que registraram em 2020 um tombo maior que o do PIB do Brasil.

“A Zona Franca de Manaus teve dificuldades no ano passado. Teve toda questão de ser uma cadeia de produção que depende de insumos e teve muita paralisação por conta disso”, explica.

Novo ciclo de alta das commodities

A alta demanda externa por commodities agrícolas e metálicas tem impulsionado as exportações brasileiras e contribuído para a melhora das projeções para o crescimento da economia em 2021. O preço do minério de ferro teve uma alta de mais de 40% em cinco meses, e a soja um aumento da ordem de 20%.

“O que vai salvar o PIB neste ano de fato é essa questão das commodities, que estão tendo essa performance bem forte”, diz o economista.

Embora a agricultura e a pecuária tenham um peso da ordem de 5% nos números oficiais do PIB, o economista destaca que, quando é considerada toda a cadeia industrial, de serviços e de exportação relacionada ao setor, o PIB do agronegócio já representa atualmente uma participação da ordem de 30%. Nos estados do Centro-Oeste, o peso do agronegócio no PIB chega a ser superior a 80%.

“Praticamente um terço do PIB brasileiro é do agronegócio. Se junto as outras commodities –petróleo e gás, e mineração –, estamos falando de 40% a 45% do PIB do Brasil”, afirma o economista. Ele destaca, porém, que as commodities agrícolas têm uma difusão mais forte na economia, contribuindo significativamente para impulsionar a renda e o consumo nas regiões produtoras.

“São mais empresas relacionadas ao segmento do agronegócio, mais produtos, mais gente contratada e é mas espalhado regionalmente também. Então acaba tendo um impacto mais forte do que o minério de ferro e o petróleo”, diz.

A consultoria projeta que a renda total gerada pelo agronegócio deverá atingir em 2021 o volume recorde de R$ 965 bilhões, com um salto de 40% na comparação com 2020 (R$ 687 bilhões).

Sudeste e Nordeste na lanterna

O levantamento mostra ainda que, considerando os resultados oficiais desde 2010 e as projeções até 2022, os estados do Sudeste devem ter a menor taxa de crescimento acumulada.

Os cinco primeiros colocados em crescimento deverão ser Mato Grosso, Piauí, Roraima, Tocantins, Mato Grosso do Sul.

“As novas fronteiras agrícolas que foram surgindo, especialmente na região do Mapitoba (Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia) e que colocaram o Piauí e o Tocantins entre os 5 de maior crescimento, ajudam a contar a narrativa de desenvolvimento desses estados”, afirma Vale.

Já os 5 estados com o pior desempenho acumulado estão no Sudeste e Nordeste: Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe.

“Os cincos piores estados em termos de crescimento são aqueles relacionados às estruturas tradicionais da economia, especialmente com forte base em serviços, ou que tiveram menos apoio do Estado com crescimento menor do Bolsa Família e do salário mínimo”, diz o economista, acrescentando ainda que é natural que estados mais pobres cresçam mais que os mais ricos, como os do Sudeste.

Com relação à região Sul, o estudo destaca que se trata de uma economia madura tanto para a economia tradicional como para agronegócio, com estados com elevada taxa de produtividade e sem grandes extensões de área para crescimento.

Apesar das diferenças regionais e de performance, a MB avalia que, até o final de 2022, todos os estados conseguirão ter recuperado o que se perdeu com a crise da pandemia do novo coronavírus.

Na avaliação da consultoria, o Sudeste, tende a recuperar o que se perdeu com a crise pela força de sua base de serviços (São Paulo) e commodities (Minas Gerais e Espírito Santo). Já o Rio de Janeiro, apesar da forte cadeia de óleo e gás, “tem sofrido com as inúmeras turbulências políticas que acabam sendo um elemento negativo para o investimento

Continue lendo

Popular