Contato

Polícia

Polícia Federal faz varredura na Prefeitura de Uruguaiana nesta manhã

Na manhã desta terça-feira, 9 de março, o Ministério Público do Rio Grande do Sul e a Polícia Federal cumprem 12 mandados de busca e apreensão em Uruguaiana. A Operação Gaspar investiga indícios de crimes eleitorais e desvio de recursos públicos cometidos no decorrer da campanha eleitoral municipal de 2020. Os mandados judiciais são cumpridos por 50 policiais federais e 10 membros, servidores e policiais adidos do Ministério Público Estadual.

As investigações apontam para um esquema de desvio de recursos públicos em contrato para limpeza urbana firmado entre a Prefeitura e uma empresa sediada em Santa Catarina, que presta serviços desde 2017 ao município. Pouco antes das eleições, a empresa contratou varredores de rua “fantasmas”, alguns residentes em Santa Catarina, parentes dos próprios empresários investigados, havendo indícios de desvio de parte desses valores para a campanha eleitoral.

As investigações decorrem de informações compartilhadas com autorização judicial pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de Santa Catarina, obtidas com a Operação Pombo de Ouro, que apurou indícios de lavagem de dinheiro e financiamento de “caixa dois” para a obtenção de contratos públicos, sem a devida prestação do serviço naquele Estado. No decorrer das investigações em Santa Catarina, surgiram nomes de pessoas residentes em Uruguaiana e com vinculações políticas, dando início à Operação Gaspar.

O inquérito apura o cometimento dos crimes de licitação, omissão em prestação de contas eleitorais e apropriação de bens públicos. As pessoas que figuram como investigadas são agentes públicos e empresários. A medida cautelar de busca e apreensão foi ajuizada pelo procurador Regional Eleitoral e deferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS).

Com base no compartilhamento de prova colhida durante a investigação da Operação Pombo de Ouro, em Santa Catarina, o Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Sul representou pela cassação dos mandatos dos agentes públicos investigados. O MPRS também instaurou inquérito civil para investigar possíveis atos de improbidade administrativa cometidos pelos empresários e agentes públicos.

Será realizada entrevista coletiva na Promotoria de Justiça de Uruguaiana (Rua General Hipólito, 3448), às 10 horas desta terça-feira, seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Polícia

Acidente gravíssimo na Estrada do Caverá

O acidente envolveu um caminhão que estava puxando uma carga de arroz e outro caminhão menor. O motorista deste veículo ficou nas ferragens por quase uma hora.

Continue lendo

Polícia

Rachadinha. MP investiga Secretário em Uruguaiana

 

Na manhã desta quinta-feira, 15 de abril, o Ministério Público do Rio Grande do Sul desencadeou a parte ostensiva da Operação Rachadinha, na cidade de Uruguaiana. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência de um secretário do Município, investigado por fatos praticados no curso do seu mandato como vereador entre os anos de 2016 e 2020, bem como de uma de suas assessoras.

 

A investigação apurou a prática do crime de corrupção passiva, na medida em que, à época em que atuava como vereador, o investigado solicitava de sua assessoria uma parcela do salário da servidora, que deveria ser reservado e, futuramente, entregue próximo das eleições, como se fosse uma doação eleitoral espontânea.

 

A investigação foi conduzida pelo promotor de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Núcleo Fronteira Oeste, Cláudio Rafael Morosin Rodrigues, e pelo promotor de Justiça de Uruguaiana Pablo da Silva Alfaro. Participou da operação e do cumprimento dos mandados de busca e apreensão o coordenador do Gaeco do MPRS, Ricardo Herbstrith, com o apoio da Força Tática da Brigada Militar de Uruguaiana.

Segundo os promotores, “o resultado da quebra do sigilo bancário dos investigados, aliado à prova testemunhal produzida, provou de maneira satisfatória a existência da prática da rachadinha, consistente na solicitação de parcela do salário de sua assessoria, inclusive como requisito para assunção e permanência no exercício do cargo”.

Continue lendo

Polícia

Polícia Civil estoura arsenal de armas em Alegrete

 

 

A Polícia Civil, através dos Policiais do Setor de Investigações da 1ª Delegacia de Polícia de Alegrete, sob a coordenação do Delegado de Polícia Maurício Arruda Coronel, na manhã de hoje, 13/04/21,( em cumprimento à Mandado de Busca e Apreensão), em dois locais, sendo um no centro da cidade e outro no interior do município, na localidade do Ibirocai (distante 60km da cidade), apreendeu um arsenal de armas de fogo.

 

Foram apreendidas várias armas de diferentes calibres. Dois revólveres cal .38; Duas carabinas cal .44: Uma carabina cal .22; Uma espingarda cal 36; Uma garrucha cal .38 e uma garrucha cal .44, além de munições cal .22 e .38. Tal fato, deu-se em decorrência de investigações relativas à Lei Maria da Penha.

O proprietário de tal armamento não estava presente no momento das apreensões.

Continue lendo

Popular