Contato

Cultura

Rio Grande perde Porca Véia

É com muita tristeza que noticiamos o falecimento do gaiteiro, cantor e compositor Porca Veia. Ele morreu há pouco, aos 68 anos, no Hospital Regina, em Novo Hamburgo, depois de sofrer vítima duas paradas cardíacas.

Com insuficiência renal, fazia seções de hemodiálise três vezes por semana. Fundador do Grupo Cordiona e autor de sucessos como “Lembranças”, “De Alma Serrana”, “Do Jeito que Deu” e “Gaiteiro Por Demais”, Porca Véia possui 21 CDs e 3 DVDs gravados, além de dois discos de ouro.

Deixa a esposa Claudinéia Bossardi e quatro filhos, além de uma legião de fãs e amigos. A todos, o Movimento Tradicionalista Gaúcho, através de sua diretoria, entidades filiadas e associados, manifesta sua total solidariedade.

Biografia:

Porca Véia, nome artístico de Élio da Rosa Xavier (Lagoa Vermelha, 2 de março de 1952 – Novo Hamburgo, 12 de junho de 2020) 

Produtor rural até aos 16 anos, começou sua carreira artística com seis anos de idade por influência da família, onde havia muitos músicos amadores. Fez curso técnico agrícola, quando ganhou o apelido que é hoje seu nome artístico. Participou de muitos festivais e apresentou-se com Kleiton e Kledir nas melhores casas de espetáculo do Brasil, como o Canecão do Rio de Janeiro e no Palace em São Paulo. Foi aluno dos Irmãos Bertussi, que até hoje ele reverencia tocando a música Bertussi nos bailes.

Criou e dirige o grupo musical Cordiona, um grupo de baile fandangueiro. Recebeu vários títulos, como cidadão Honorário, comendador da Brigada Militar, Amigo da Brigada e Destaque Musical. Tem 17 CDs gravados e três DVD´S. Ganhou duas vezes o Disco de Ouro.

Casou-se no dia 28 de agosto de 2009, em Curitibanos, com a catarinense Claudinéia Aparecida Bossardi. Depois de 33 anos nos palcos, Porca Véia anunciou que sua carreira artística terminará no fim de 2013. Porca Véia finalizou sua carreira em 28 de dezembro de 2013, no pavilhão da Festa da Uva, em um grande show com a presença de quase 5 mil pessoas. Contou também com convidados como Renato Borghetti, Yamandu Costa, Daltro Bertussi e Luiz Carlos Borges.

No vídeo abaixo o gaúcho de Lagoa Vermelha Elio da Rosa Xavier fala a reportagem do Jornal ABC sobre  o cotidiano de tomar remédios e, três vezes por semana, ser submetido a desgastantes sessões de hemodiálise. Aos 67 anos e há seis anos longe dos palcos, o consagrado gaiteiro Porca Véia lutava contra o diabetes. A doença que interrompeu a carreira que lhe rendeu dos dois discos de ouro e vários outros prêmios em festivais.

E assim vai  o compositor artista, mas fica pra sempre seu legado

 

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Cidade

Cavalarianos desfilam pelas ruas do Alegrete em homenagem ao 20 de Setembro

Ninguém esperava que na manhã deste domingo, 20 de setembro, data que recorda o dia em que teve início a Revolução Farroupilha, ou Guerra dos Farrapos, em 1835, um grupo de Cavalarianos desfilaria pelas ruas do Alegrete mantendo a tradição, mesmo em tempo de pandemia.

Aproximadamente 30 cavalarianos de diversas idades, se concentraram na Av Ibicuí, aos fundos do Parque de rodeios, a principio a cavalgada seguiria ao interior do município, mas de ultima hora decidiram seguir o caminho do desfile tradicional seguindo pela Av Ibicuí passando a ponte, subindo pela Barão do Amazonas, parando na Praça Getúlio Vargas, onde fizeram uma oração e Falaram um pouco sobre o motivo da cavalgada.

Logo depois os cavalarianos seguiram em direção a Praça nova, por onde passavam, a população e motoristas, aplaudiam e se solidarizavam com o evento dando prioridade nas preferencias para que a cavalgada passa-se.

Sem nenhum intuito politico, vinculo com instituição, apenas um grupo de amigos que se reuniu por whatsapp, o evento não teve nenhum transtorno, todos os cavalos estavam com o atestado veterinário em dia, os cavalarianos usando mascaras, e mantendo um distanciamento considerável entre eles.

A cavalgada dispersou na Praça Nova, logo após o agradecimento dos organizadores e a oração de um Pai Nosso.

Confira mais imagens e os videos da Cavalgada abaixo:

 

 

Fotos e Videos: Alex Stanrlei/Em Questão

 

Continue lendo

Cultura

Fazenda Sossego do Capavari, com a presença do Coordenador da 4ª Região Tradicionalista, realiza cavalgada de acendimento da chama Crioula

Nem bem o relógio apontava o fim da madrugada, neste domingo, 13 de setembro e um grupo de cavalarianos, tradicionalistas, estava mobilizado para promover um ato de bravura, em plena pandemia e, através de uma cavalgada, acender a chama crioula, na fazenda Sossego do Capivari.


A iniciativa, pioneira, carrega, em si, um simbolismo que transcende os empecilhos da intempérie e da pandemia que, este ano fez com que a tradicional chegada da chama crioula, não ocorresse.
A iniciativa, com cavalgada, demonstra que Alegrete, sendo a Terceira Capital Farroupilha, com maior desfile de cavalarianos do mundo, no 20 de setembro, não se conformaria em deixar passar, em branco, uma data identificada com nossas origens, como ela não existisse.
Mesmo depois, que um grupo de cavalarianos recebeu um “NÃO” do Prefeito para promover uma cavalgada, simbólica, no dia 20 de setembro, um outro grupo não aceitou a negativa como desistência e, começou a organizar uma outra forma de marcar a data no calendário tradicionalista, como sendo um mais um feito do que está sendo chamado do “novo normal”.
Eles, acenderam a chama e iniciaram a cavalgada, a partir da Ponte de ferro no Capivari. Nem mesmo a chuva e o vento forte, impediram que eles demonstrassem seu amor pelas tradições, mesmo em meio a tantas restrições, e sem desrespeitar o distanciamento social.

Ainda pela manhã, sem o uso do cavalo, representantes do CTG Vaqueanos da Fronteira e Piquete Dona Luíza, acenderam a chama em suas entidades. Agora de tarde, o CTG Farroupilha também fez o acendimento e na pira da Praça, no final da tarde..

Alegrete, teve cavalgada, sim! E, citando, trechos dos versos do hino Riograndense que é quase uma oração, para nós gaúchos: “SIRVA ESTA FAÇANHA, DE MODELO A TODA A TERRA.

Integraram a cavalgada
Ricardo Steinhorst, Henrique Steinhorst, Ewaldo Fernando Steinhorst, Marcos Eugênio Severo, Cristiano Gideel, Marco Saldanha Júnior- (Coordenador da 4ª Região), Bianca Correia Saldanha, Rodrigo Correia Saldanha, Joaquim Brasil, Milene Ribeiro, Marcelo Aita, Mariana Caselgrandi, Antonella Aita, Bruno Motta, Martin Motta, Inácio Motta, Mayra Mombaque.
Dentre outras, pessoas presentes, estavam: Guilherme Maciel, Bianca Acunha, Henrique Cons, Mauren Rodrigues,Bruno Motta e esposa, Marcelo Aita e Esposa, Joaquim Brasil e esposa, Marco e Bianca e Ricardo.

 

Informações: Dariano Moraes/Face Repórter

Continue lendo

Cultura

Wilson Paim emociona tripulação da Gol ao cantar o Hino Riograndense

Circula nas redes sociais um vídeo onde o cantor alegretense Wilson Paim,  protagoniza uma cena rara e surpreendente num vôo da Gol com destino à Porto Alegre.

De repente ele pega o microfone, agradece a gentileza do comandante da aeronave e anuncia a presença de diversos renomados musicos gaúchos no vôo e começa a cantar o Hino Riograndense.

Uma onda de comoção toma conta do avião e um grande coral de passageiros segue entoando o hino do RS sob o comando de Wilson Paim.

Provavelmente não seja atual, mas continua tendo o comportamento de viral loop e retornou com força ao whats app

Olha o que pode acontecer num voo para o Rio Grande do Sul

Posted by Silvana Mandelli on Friday, September 27, 2019

 

Continue lendo

Popular