Contato

Cidade

Vacinação contra o sarampo expõe preocupação com adultos jovens

Começou nesta segunda-feira (18) a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo, com público-alvo de adultos de 20 a 29 anos não-vacinados ou com esquema vacinal incompleto.

“Essa faixa etária concentra o maior número de casos de sarampo no Brasil e é a segunda em maior incidência. Esse índice se reflete no Rio Grande do Sul”, explica a especialista em saúde do Núcleo de Doenças Transmissíveis do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Juliana Dourado Patzer.

No Brasil, dos 10.429 casos confirmados de sarampo até o dia 26 de outubro, 1.729 (16,5%) estão dentro da faixa etária da campanha. No Estado, do total de 32 casos confirmados até 13 de novembro, 10 (31%) tem entre 20 e 29 anos.

Juliana lembra que a campanha não é indiscriminada, ou seja, devem se vacinar com a tríplice viral aqueles que nunca tomaram nenhuma ou apenas uma dose da vacina ou não possuem registro em caderneta de vacinação.

A estimativa do Ministério da Saúde é que há 747.890 pessoas dessa idade no Rio Grande do Sul que não receberam nenhuma das doses da vacina contra o sarampo.

A vacinação é a forma mais eficaz de se proteger da doença e evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas que podem levar a óbito. A tríplice viral protege também contra a caxumba e a rubéola.

O calendário básico oferece duas doses, a primeira aos 12 meses de idade e a segunda aos 15 meses, com a tetraviral, que inclui proteção contra a varicela (catapora).

A campanha segue até 30 de novembro. A data marca também o Dia D de imunização, um sábado em que os postos de saúde ficam abertos para realizar a aplicação de doses. Após essa data, a vacina segue disponível de acordo com o calendário básico.

Primeira fase
A primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a doença aconteceu em outubro, com foco nas crianças acima dos 6 meses e menores de 5 anos. Para os bebês de 1 ano de idade, a campanha atingiu 100% da cobertura vacinal no Estado.

Casos de sarampo no Estado
De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pelo Cevs, o Rio Grande do Sul registrou 32 casos confirmados da doença até o dia 13 de novembro. Destes sete são novos em relação ao boletim anterior. Os casos são das cidades de Alvorada (1), Porto Alegre (12), Dois Irmãos (1), Cachoeirinha (10), Gravataí (4), Ijuí (2) e Canoas (2).

Histórico do sarampo no RS:
2019: 32 casos (até 13/11)
2018: 47 casos
2012-2017: sem casos registrados
2011: 8 casos
2010: 7 casos

A doença
Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo (exantemas) acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para a investigação, principalmente aqueles que estiveram nos 30 dias anteriores em viagem a locais com circulação do vírus. Casos suspeitos devem ser informados imediatamente às Secretarias Municipais de Saúde ou para o Disque Vigilância, por intermédio do número 150.

Cobertura da vacinação
O Rio Grande do Sul apresentou nos últimos anos cobertura vacinal da primeira dose contra o sarampo (aos 12 meses) abaixo da meta, que é 95%.
Ano – cobertura vacinal 1º dose de tríplice viral
2018: 89% (ainda dados preliminares sujeitos a alteração)
2017: 88%
2016: 90%
2015: 88%

 
Continue lendo
Publicidade
Comentários

Cidade

Secretaria de Segurança desenvolve ações no Passo Novo

A Prefeitura de Alegrete está intensificando o trabalho de melhoraria em diversas vias da cidade e no interior do município. No dia 26 de janeiro, a Secretaria de Segurança Pública, Mobilidade e Cidadania, em parceria com a Secretaria de Agricultura e Pecuária, realizou a instalação de placas de sinalização e paradas de ônibus na localidade do Passo Novo.

Além de determinar o fluxo de trânsito, as placas de sinalização são fundamentais para garantir a segurança dos motoristas e pedestres que utilizam as vias. O secretário de Segurança Pública, Mobilidade Urbana e Cidadania, Rui Medeiros, destacou o incansável trabalho das equipes do Setor de Sinalização e do Departamento de Trânsito.

Outras ações também estão em desenvolvimento para melhorias do trânsito de Alegrete, priorizando a qualidade de vida dos alegretenses.

Continue lendo

Cidade

O prefeito em exercício esteve em reunião na manhã de terça-feira com representantes da ONG OPAA

O prefeito em exercício, Jesse Trindade esteve em reunião na manhã de terça-feira (27/01) com a presidente da ONG OPAA (Organização de Proteção Animal de Alegrete), Nara Leite e a vereadora Dileusa Alves para abordar as demandas relacionadas aos animais em situação de vulnerabilidade e denúncias de maus tratos. Também esteve em pauta o funcionamento e administração do Canil Municipal de Alegrete.

O vice-prefeito Jesse Trindade enfatiza: “vamos trabalhar olhando com muito carinho com as prioridades para política pública de bem estar animal”.

As denúncias podem ser feitas pela ouvidoria municipal pelo telefone 0800.644.1621 e as emergências através do (55) 99149-0457.

Continue lendo

Cidade

Alegrete tem novo cronograma da Coleta Seletiva

A Prefeitura de Alegrete, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, divulgou o novo cronograma da coleta seletiva de resíduos no município, que está funcionando plenamente mesmo durante a pandemia. Hoje a cidade comporta pontos de coleta, distribuídos em 26 vias, com o objetivo de diminuir a poluição ao meio ambiente, gerando mais economia no consumo de energia, água, gastos com a limpeza urbana e o transbordo de rejeitos, além de oportunizar emprego e renda através da comercialização dos recicláveis pelas cooperativas de catadores.

A coleta seletiva é o recolhimento dos resíduos orgânicos e inorgânicos, secos ou úmidos, recicláveis e não recicláveis que são previamente separados na fonte geradora, recolhidos e levados para seu reaproveitamento.

Conforme a secretária de Meio Ambiente, Gabriella Segabinazi, a colaboração de todos é fundamental para êxito nas ações. “A coleta seletiva é o primeiro e o mais importante passo para fazer com que vários tipos de resíduos sigam seu caminho para reciclagem ou destinação final ambientalmente correta, pois o resíduo separado reduz custos e minimiza os impactos ambientais”, reforça.

A secretária solicita aos moradores que atentem para os dias e horários da coleta para que somente nesses dias coloquem o material para facilitar a ação dos agentes ambientais.

Confira a rota da Coleta Seletiva

A rota da coleta seletiva funciona de segunda a sábado, nos turnos da manhã e noite. Nas segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 07h30min, são contempladas as ruas Barão do Cerro Largo, avenidas Eurípides Brasil Milano, Dr. Lauro Donelles (da Praça Nova até a rua Venâncio Aires), Assis Brasil, Rondon e Centro Administrativo Municipal na rua Major Cezimbra Jaques. A partir das 19h, a coleta adere a Rua dos Andradas, General Vitorino (da Praça Getúlio Vargas até a Av. Dr. Lauro Dornelles), Venâncio Aires (Av. Dr. Lauro até a Tiradentes), Vasco Alves (Av. Dr. Lauro Dornelles até a Praça Getúlio Vargas), General Sampaio (Presidente Roosevelt até a Marquês de Alegrete) e Gaspar Martins (do calçadão até a Dr. Lauro Dornelles).

Nas terças, quintas e sábados, o itinerário inicia às 07h30min passando pelas ruas Bento Manoel, Vinte de Setembro (da Av. Dr. Lauro Dornelles até a Av. Eurípides Brasil Milano), Barão do Amazonas, Mariz e Barros (primeira quadra), Demétrio Ribeiro, José Bonifácio (primeira quadra), Dr. Quintana (duas quadras), Nossa Senhora do Carmo (primeira quadra), Luiz de Freitas (da rua Joaquim Nabuco até a Praça Getúlio Vargas), Coronel Cabrita (primeira quadra), Calçadão, Praça General Osório e Maurício Cardoso.

Diferença entre resíduos secos, orgânicos e rejeitos

Começar a reciclar não é difícil. Contudo, algumas informações básicas ajudam bastante o processo. Existem dois tipos de contentores: resíduos orgânicos (marrom) e resíduos secos (azul), onde os resíduos devem ser colocados embalados.

Na categoria orgânico, são contemplados os restos de alimentos (não temperados), cascas de frutas, cascas de ovos, borra de café e erva-mate. Neste mesmo contentor podem ser depositados os rejeitos que são papel higiênico, lenços, fraldas, absorventes, papel toalha, fezes de animais.
Além do descarte, existe a possibilidade de realizar em seu pátio a criação de uma composteira, que serve como adubo para a terra e outras plantações.

Nos contentores de resíduos secos, são coletados os materiais recicláveis como vidros, papel, plástico e metal. Estes são fundamentais que sejam descartados limpos, sem restos em seus recipientes, pois são utilizados para a comercialização em cooperativas de reciclagem.

Podem ser reaproveitados:

– Vidros (garrafas, copos, frascos, pratos e demais utensílios de vidro).
– Papel (jornais, revistas, embalagens de papelão, caixas, panfletos, tetra pack).
– Plástico (embalagens plásticas, garrafas pet, sacolas plásticas, recipientes plásticos em geral).
– Metal (latas de alumínio de bebidas, latas de condimentos, metais em geral (chumbo, fios, arames e objetos de cobre)).

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular