Advogado nega acusação de estupro e apresenta novas informações

Nesta manhã, o EQ foi procurado pelo advogado do acusado de estupro, que foi preso na tarde de ontem, conforme matéria neste site. O advogado Jairo Lopes Carvalho, disse que o uso da palavra estuprador, dita pela autoridade policial, não se justifica neste momento. Segundo o advogado, pelo princípio da presunção de inocência, ninguém pode ser considerado culpado sem o trânsito em julgado da condenação. (Artigo 217A do Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940)

O advogado estranha que até mesmo antes do acusado ser ouvido, a matéria já estava circulando nos meios de comunicação. “Meu cliente foi tratado como estuprador, sem ter sido ouvido pela Polícia. Quando foi ouvido, a notícia já estava nas redes sociais”, disparou.

Durante o depoimento foram juntadas provas, que estão de posse da Polícia Civil, demonstrando que a vítima consentiu com o ato e que depois do dia do acontecido, seguiu mantendo conversas com o acusado, inclusive para sairem novamente. “Meu cliente se negou”, disse o defensor, que ressaltou que o menor, participa de um site de relacionamentos gays, na cidade, enviando fotos íntimas, assediando outros homossexuais, e que estas conversas estão de posse da Polícia.

“Estranho, porque meu cliente sequer foi ouvido pelo Delegado de Polícia, conforme prevê a Lei”, observou o advogado. “O problema agora, grave, é que ele está sendo ameaçado de morte dentro do Presídio, por algo que ainda está sendo investigado. Acho temerário usarem a palavra estuprador pela autoridade policial, antes da conclusão do inquérito”, disparou.

Segundo ainda o advogado, o acusado disponibilizou as conversas contidas no notbook e andróid, pelas redes sociais voluntariamente. “Não há vítimas, nem outras vítimas”, garantiu o advogado.

Lei mais:

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *