Contato

Cultura

Grupo alagoano chega a Alegrete pelo Sonora Brasil Sesc

 

Apresentação das “Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa” será dia 10 de setembro

 

O Sonora Brasil Sesc dá início ao segundo circuito do projeto com a apresentação do grupo alagoano “Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa”. A apresentação chega a Alegrete dia 10 de setembro, às 20h, no Centro Cultural Adão Ortiz Houayek (Praça Oswaldo Aranha, s/nº) e tem entrada franca. Mais informações podem ser obtidas no Sesc Alegrete (Rua dos Andradas, 71), telefone (55) 3422-2129, site www.sesc-rs.com.br/alegrete e página www.facebook.com.br/sescalegreters.

O grupo é formado por cinco mulheres: Josefa Correia Lima dos Santos, Isabel Cipriano dos Santos, Regineide Rosa dos Santos, Rosália Gomes dos Santos e Rosinalva Farias dos Santos, todas da região de Sítio Fernandes, município de Arapiraca, na zona rural do agreste alagoano. Junto com elas, Nelson Rosa, mestre de coco de roda reconhecido como patrimônio vivo de Alagoas. O cultivo do fumo foi a principal atividade econômica por mais de cinco décadas em Arapiraca. As mulheres trabalhavam horas a fio sentadas no chão nos “salões de fumo”, destalando e selecionando as folhas ao som de cantigas para espantar o sono durante as madrugadas.

Os cantos das destaladeiras são entoados em várias vozes, com uma só voz no improviso dos versos geralmente tirado pelas líderes do salão: são em forma de trovas rimadas e têm como característica serem arrastados e sem acompanhamento instrumental. No repertório, além das canções tradicionalmente feitas na rotina laboral da destalação, cantigas de barreiro e tapagens de casa, os rojões de eito entoados nas tarefas da roça e o pagode, música que embalava as festas em que a comunidade comemorava o chamado derradeiro dia de fumo, no encerramento da safra.

Sobre o Sonora Brasil – Promovido pelo Sesc, o projeto é considerado o maior do País em circulação musical e, em 2015 promoveu 480 concertos em mais de 130 cidades brasileiras. Desde a sua primeira edição, em 1998, já passaram pelo projeto cerca de 80 grupos em mais de 3.900 apresentações por todo o país, alcançando um público superior a 520 mil espectadores. No Rio Grande do Sul, as atividades do Sonora Brasil integram a agenda do Arte Sesc – Cultura por toda parte.

 

Projeto Sonora Brasil Sesc – Alegrete

Espetáculo “Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa” (AL)

Data: 10/09 (sábado)

Horário: 20h

Local: Centro Cultural Adão Ortiz Houayek (Praça Oswaldo Aranha, s/nº)

Entrada gratuita mediante retirada de senha no Sesc.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Cultura

Semana da Paz 2021 acontece de forma virtual

A Coordenadoria da 4ª Região Tradicionalista e a Prefeitura Municipal de Alegrete, através Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, convidam a comunidade alegretense para participar da programação virtual alusiva a Semana da Paz 2021, com o tema “Uma cultura de paz entre o eu, o outro e as mídias sociais”. O evento ocorre de 22 a 26 de fevereiro e a programação será transmitida através do Facebook da 4ª Região Tradicionalista.

𝑷𝑹𝑶𝑮𝑹𝑨𝑴𝑨𝑪̧𝑨̃𝑶:
• 22 DE FEVEREIRO DE 2021 (SEGUNDA – FEIRA)
19 horas – Abertura Oficial e Homenagens

• 23 DE FEVEREIRO DE 2021 (TERÇA – FEIRA)
19 horas – Missa da Semana da Paz
Local – Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição Aparecida

•24 DE FEVEREIRO DE 2021 (QUARTA – FEIRA)
19 horas – III Simpósio da Semana da Paz
“Uma cultura de paz entre o eu, o outro e as mídias sociais”. Palestrante:
Gabriela Sarturi Rigão 1ª Prenda do Rio Grande do Sul – Gestão 2019/2021.

• 25 DE FEVEREIRO DE 2021 (QUINTA – FEIRA)
19 horas – Tributo a Telmo de Lima Freitas
Live Show com Cristiano Fantinel

• 26 DE FEVEREIRO DE 2021 (SEXTA – FEIRA)
20 horas – Encerramento – Inserções Artísticas

Continue lendo

Cultura

Roda de Conversa sobre Racismo provoca reflexão sobre o tema em Alegrete.

No dia 02 de Dezembro,às 10hs, aconteceu a roda de conversa organizada pela Escola Municipal Waldemar Borges de Alegrete-RS, com o tema Racismo Estrutural e Institucional.

Participaram da conversa sob a mediação da Prof Quelen Gomes,Mylene Seidl,Juiza Federal do Trabalho;João Leivas,Advogado e Vereador eleito;Sivens Carvalho ,Advogado;Jose Antonio Jornalista e Tecnólogo Gerenciamento Sv Policial Militar e Roberlaine Ribeiro Jorge Reitor da Unipampa.

A conversa começou com a Dra. Milene,juiza federal do Trabalho, realizando um breve histórico sobre o negro no Brasil , e sua participação na estrutura da sociedade brasileira.

Com participações dos demais palestrantes,o tema do racismo estrutural e institucional prosseguiu sendo apresentado pelo jornalista Jose Antonio Gonçalves,de forma reflexiva,a proporcionalidade de brancos e negros nas funções de liderança nos três poderes da união,na cadeia produtiva e no sistema financeiro brasileiro.

O Professor Roberlaine, reitor da Unipampa, explanou sobre a situação do negro na educação superior, e a renovação da lei de cotas que tem prazo até 2021.

Os debatedores salientaram sobre a necessidades de políticas públicas, que inclua o negro na estrutura de liderança do pais, e medidas práticas governamentais que diminuam a desigualdade entre negros e brancos na sociedade brasileira.

Dr Sivens Carvalho, salientou sobre as leis que tramitam no Congresso Federal a respeito da diversidade racial, e que muitas vezes, não são apreciadas com brevidade.

O vereador eleito, e advogado João Leivas, falou sobre a importância do negro nas câmaras legislativas, e das cobranças que o legislador sofre por ser minoria nas casas do povo.

Por fim , a roda de conversa foi encerrada, tendo a maciça participação dos professores da escola,comunidade em geral e internautas que acompanharam o evento.

Segundo a professora Quelen Gomes, o evento atingiu o objetivo, trazendo de forma reflexiva e participativa, um debate sobre a inclusão e diversidade racial.

Continue lendo

Cidade

Cavalarianos desfilam pelas ruas do Alegrete em homenagem ao 20 de Setembro

Ninguém esperava que na manhã deste domingo, 20 de setembro, data que recorda o dia em que teve início a Revolução Farroupilha, ou Guerra dos Farrapos, em 1835, um grupo de Cavalarianos desfilaria pelas ruas do Alegrete mantendo a tradição, mesmo em tempo de pandemia.

Aproximadamente 30 cavalarianos de diversas idades, se concentraram na Av Ibicuí, aos fundos do Parque de rodeios, a principio a cavalgada seguiria ao interior do município, mas de ultima hora decidiram seguir o caminho do desfile tradicional seguindo pela Av Ibicuí passando a ponte, subindo pela Barão do Amazonas, parando na Praça Getúlio Vargas, onde fizeram uma oração e Falaram um pouco sobre o motivo da cavalgada.

Logo depois os cavalarianos seguiram em direção a Praça nova, por onde passavam, a população e motoristas, aplaudiam e se solidarizavam com o evento dando prioridade nas preferencias para que a cavalgada passa-se.

Sem nenhum intuito politico, vinculo com instituição, apenas um grupo de amigos que se reuniu por whatsapp, o evento não teve nenhum transtorno, todos os cavalos estavam com o atestado veterinário em dia, os cavalarianos usando mascaras, e mantendo um distanciamento considerável entre eles.

A cavalgada dispersou na Praça Nova, logo após o agradecimento dos organizadores e a oração de um Pai Nosso.

Confira mais imagens e os videos da Cavalgada abaixo:

 

 

Fotos e Videos: Alex Stanrlei/Em Questão

 

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular