Contato

Notícias Agora

Após 63 anos casados, casal morre no mesmo dia sem saber um da internação do outro

 

1 de agosto de 2016 15:20  

Quando filhos e netos ligavam para saber como estavam Fernando e Delinda Biz, a resposta da matriarca até mudava um pouco de acordo com o dia, mas sempre acabava com os mesmos dizeres: “Quando a gente for, a gente vai junto”.

Apesar da displicência das palavras, Delinda estava certa. Após 63 anos casados, os dois acabaram morrendo no mesmo dia: 19 de julho. Ele, aos 82 anos, por causa de um problema do coração. Ela, aos 86, após falência de múltiplos órgãos. Não chegaram a saber nem da internação nem da morte um do outro.
Os dois nasceram e cresceram em Turvo (SC) e se conheceram em uma festa religiosa. Fernando tinha 19 anos, Delinda 23. O namoro durou um ano, com encontros durante a missa e visitas formais, sempre sob olhares atentos dos pais. Casaram-se em 1953.

No sítio simples que herdaram da família, os dois plantavam arroz, milho e feijão. Durante a infância dos filhos, falavam mais italiano – idioma de seus ascendentes – do que português. Todas as noites, reuniam os dez filhos em um círculo na sala e liam passagens da Bíblia. Também rezavam o terço antes de dormir.

Fernando era sério, sisudo, exigente, mas foi amolecendo com o tempo, diziam os filhos mais velhos ao ver a “moleza” recebida pelos mais novos. Já Delinda era engraçada, divertida, carinhosa e apaziguadora se necessário.

Com o tempo, os filhos foram casando e se mudando. Com menos ajuda na lida, o casal vendeu as terras e começou vida nova em Araranguá (SC). Fernando abriu um bar, que tocou com a ajuda dos filhos mais novos, enquanto Delinda se dedicava a casa. Fazia roupas para a família e caprichava na cozinha.

Os almoços com macarrão, polenta e galinha caipira continuaram a reunir toda a família aos domingos. Até os filhos e os netos que moravam em outras cidades costumavam aparecer. A mesma popularidade tinham os cafés da tarde de Delinda. Não faltavam pão sovado, bolinho de chuva e cuca.

Com a aposentadoria, Fernando costumava rodar pela cidade em sua bicicleta e jogar carteado com os amigos – às vezes era o anfitrião, em outras era o convidado. Delinda preferia ficar em casa, sentadinha na sala ou ao lado do fogão a lenha. No sofá de casa, ele interrompia as missas que a mulher assistia na televisão para perguntar se ela o amava. Delinda se irritava com a insistência e sempre terminava com: “Te amo, mas me deixa ver a televisão”. Marido e mulher conseguiam repetir o mesmo diálogo diversas vezes no dia.

Os problemas de saúde começaram a aparecer nos últimos anos, levando o casal a morar com uma das filhas. Fernando precisou de um marcapasso por problemas cardíacos e já apresentava sintomas de alzheimer. Delinda teve quatro derrames.

Ausência.
Na noite do último dia 18, ela começou a se sentir mal. Foi levada ao hospital por um dos filhos e lá ficou em observação. Na manhã seguinte, Fernando percebeu sua ausência e questionou uma das filhas – que não revelou a internação.

Ele então pediu uma blusa, um pouco de café e voltou para a cama, onde foi encontrado morto 15 minutos depois, por volta das 7h30min. Delinda, que teve que ser entubada na madrugada, morreu às 13h do mesmo dia. “Sei o que dizem os médicos e os atestados de óbito, mas, para mim, minha mãe já tinha ido na madrugada e veio buscar meu pai para ir junto dela. Ela chegava a rezar para Jesus levar os dois juntos”, conta a filha Rose.
A missa e o enterro do casal aconteceram também no dia 19, no cemitério de Araranguá, onde Fernando e Delinda continuam juntos. (Folhapress

 

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Notícias Agora

Paulo Gustavo morre aos 42 anos após mais de 40 dias intubado com covid-19

O ator e humorista Paulo Gustavo morreu na tarde desta terça-feira (04), vítima de complicações da Covid-19 Ele foi internado num hospital particular do Rio de Janeiro no dia 13 de março e, uma semana depois, foi encaminhado à UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e entubado devido à piora no seu quadro de saúde.

O ator e criador de ‘Minha Mãe É Uma Peça’ era casado com Thales Bretas, dermatologista, e pai dos gêmeos, Romeu e Gael, e estava internado desde o dia 13 de março, e intubado desde o dia 22 de março.

A família já foi informada sobre a morte do artista e, inclusive, foi chamada às pressas para o hospital pela manhã.
Nesta segunda-feira (03), a equipe médica que cuidava do ator divulgou que o quadro de saúde do artista havia piorado após uma embolia, que causou também insuficiência cardíaca e lesões cerebrais. “Depois de alguma melhora, Paulo Gustavo subitamente piorou no dia de ontem“, diz um trecho da nota.

Biografia

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói em 30 de outubro de 1978 e estudou teatro na Casa das Artes de Laranjeiras, no Rio, na mesma turma de Fábio Porchat.

A primeira peça da qual participou foi “O surto”, em que dividia a direção com Fernando Caruso, em 2004. Foi no espetáculo que apresentou pela primeira vez a personagem Dona Hermínia, que marcaria sua carreira para sempre.

A mãe superprotetora e hilária ganhou peça própria em 2006 e chegou ao cinema sete anos depois.

Carreira na TV

Na televisão, Paulo apresentou em 2011 o programa “220 Volts”, do Multishow. Dois anos depois, no mesmo canal, ele passou integrar o elenco da sitcom “Vai que cola”, vivendo o malandro Valdomiro Lacerda. O personagem foi um sucesso também na adaptação para o cinema, em 2015.

Ainda no Multishow, o ator protagonizou, ao lado de Katiuscia Canoro, a série “A vila”. Na produção, ele interpretou o ex-palhaço Rique.

Ele também foi o apresentador de várias edições do Prêmio Multishow.

Continue lendo

Notícias Agora

De engenharia no RS a atriz internacional na China: quem é a gaúcha Miss Brasil 2020?

Concurso em formato inédito ocorreu nesta quinta-feira e foi transmitido online

A gaúcha de Porto Alegre de 27 anos, Julia Gama, foi coroada Miss Brasil 2020 em cerimônia inédita sem plateia nesta quinta-feira (20). A posse durou um pouco mais de 20 minutos e Julia recebeu a coroa das mãos da Miss Brasil 2019, Júlia Horta. Em decorrência das consequências da Covid-19 em segurança a saúde, a comissão do concurso foi formada apenas por integrantes da Organização Miss Brasil.

Fluente em três idiomas a gaúcha, como agradecimento a coroa, disse em português que deseja “levar o nome do Brasil ao mundo, mas não sozinha”, em espanhol, afirmou querer “ser uma plataforma para a voz latina”, já e em mandarim, concluiu a fala destacando que pretende “encorajar as pessoas a brilharem”. Julia cursou até o terceiro ano da graduação de engenharia química no Rio Grande do Sul e hoje é atriz internacional na China.

 

Em uma publicação no Instagram escreveu: “Eu não canso de ter esperança de ser tudo que sonho – Julia Gama 2014” para relatar a fé nos últimos seis anos de trabalho, “de menina à mulher. Ainda na postagem menciona a valorização e dedicação em seus sonhos: “Que a gente saiba que com integridade, persistência e fé é possível realizar qualquer coisa”, escreveu. A mulher pretende representar o Brasil em toda sua diversidade.

Miss Brasil 2020 foi o 66º ano de participação do Brasil no Miss Universo. A gaúcha sucedeu a mineira jornalista, comunicadora, palestrante e modelo brasileira, Júlia Horta. Com a vitória no dia 9 de março na São Paulo Expo frente a um público de 15 mil pessoas, Júlia tornou-se a nona candidata do estado de Minas Gerais a ostentar a faixa nacional.

Assista:

 

Por: Valesca Luz / Acústica FM – Foto: Divulgação / Instagram

Continue lendo

Manchete

Vídeos-Noite fria com neve e chuva gelada na Serra

Depois de uma semana com temperaturas altas, o frio voltou com força total ao Rio Grande do Sul no final da noite deste domingo (16).

Em Porto Alegre, a mínima registrada na manhã na última segunda-feira (17) foi de 7,5°C. No interior do Estado, os termômetros registram temperaturas ainda menores: o município de São Jose dos Ausentes teve mínima de -0,2°C. Na serra gaúcha chegou a nevar em pelo menos seis municípios – Gramado, Canela, Caxias do Sul, Bom Jesus, São Francisco de Paula, Pinheiro Machado e Palmeira das Missões. A drástica mudança começou com a chegada de uma forte massa de ar polar vinda da Argentina, que também derrubou as temperaturas no Uruguai e no Chile.

 

Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular