Contato

Em Campo

Mormo: Laboratório da Hípica de Porto Alegre está habilitado para contra prova

20160617_095620

Sob coordenação do líder da bancada do PP, deputado Frederico Antunes, a Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa realizou nesta sexta-feira (17), em Uruguaiana, audiência pública para debater os desdobramentos sobre as mais recentes medidas anunciadas pela Secretaria Estadual da Agricultura, como a ampliação do prazo de validade do exame negativo para doença do mormo, de 60 para 180 dias, e novas alternativas para aumentar o controle sanitário e emissão de Guias de Transito de Animais (GTA).

O encontro, realizado no Salão de Eventos do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Rio Grande do Sul (SDAERGS), contou com a presença do titular da pasta da Agricultura, secretário Ernani Polo, além de diversas lideranças regionais e representantes de entidades rurais, Centros de Tradições Gaúchas (CTG), Piquetes e Movimento de Tradição Gaúcha(MTG). O secretário explicou que a decisão de aumentar o prazo de validade sobre o mormo em equinos, um ano após o registro do primeiro caso, foi tomado após levantamento feito em conjunto com o Ministério da Agricultura. De junho de 2015 a abril de 2016, dos 180.052 mil animais testados em 489 municípios, 179.944 deram resultado negativo, com 62 casos positivos confirmados, ou 0,034% do total. “Chegamos a esta ampliação após verificarmos a baixa incidência da doença. Nosso objetivo é manter o controle e o monitoramento do mormo, medida que estamos realizando de forma eficaz. Por outro lado, é fundamental que os proprietários realizem exames, inclusive naqueles animais que não foram testados, para que o cerco à doença aumente”, disse.

Já o deputado Frederico Antunes, destacou que a dilatação do prazo de validade do exame é uma medida inteligente, pois alia a preocupação com a sanidade animal com a necessidade de se viabilizar a manutenção de eventos equestres importantes. “De forma alguma, esta medida é um afrouxamento das regras. Pelo contrário, está amplamente embasada em testes e cruzamentos de dados, e trará benefícios a todos”, elogiou o líder do PP.

Outro tema tratado na audiência foi a Instrução Normativa 9/2016, editada pela pasta da Agricultura, que habilita médicos veterinários privados para ajudar a secretaria no controle sanitário e na emissão de Guias de Transito de Animais nos eventos com aglomeração de ruminantes e/ou equinos em que o Serviço Veterinário Oficial (SVO) não puder estar presente.

Conforme Polo, os profissionais fiscalizarão o ingresso de animais nos eventos, cadastrando os mesmos e emitindo as GTAs de saída, certificando-se de que os animais tenham boa sanidade e cuidados relativos ao bem estar animal. A habilitação dos veterinários fica condicionada à capacitação promovida pelo SVO, e terá validade de um ano. “Desta forma poderemos atender presencialmente um maior número de eventos, agilizando as emissões de GTAs, com a devida responsabilidade sanitária e controle da secretaria da agricultura, pecuária e irrigação”, avalia o secretário.

ENCAMINHAMENTOS APRESENTADOS E APROVADOS NA AUDIÊNCIA
Entre as principais sugestões e encaminhamentos apresentados na Audiência Pública, estão:
#Ampliar a divulgação, através das entidades, da Instrução Normativa 009/2016, que habilita médicos veterinários a emitam as GTAs.
#Credenciamento do laboratório da Hípica, em Porto Alegre, para a realização do segundo teste, que caracteriza a contra prova do exame.
#Criação de um Grupo de Trabalho com profissionais e representares do setor, para acompanhar as questões envolvendo a zoonose, junto às autoridades.
#Formação de uma parceria entre a Secretaria da Agricultura, os CTGs e os movimentos tradicionalistas no sentido de controlar a doença e organizar os desfiles farroupilhas. Esses grupos serão organizados por região.
#Buscar diálogo com a Procuradoria Geral do Estado, para estabelecer novos critérios com relação à contestação de decisões judiciais que proíbem o sacrifício de animais supostamente infectados, antes da realização da contra-prova. Segundo técnicos da Secretaria, desta forma seria evitado a perda de equinos que apresentem exames com resultados falso positivo.

 

Participaram também da reunião o prefeito de Uruguaiana, Luiz Augusto Schneider; presidente da Câmara Municipal de Uruguaiana, vereador Adalberto Rosa e Silva; o Diretor da Secretaria da Agricultura, Fernando Groff; presidente do SDAERGS, Lauri Kotz; presidente do Sindicato Rural de Uruguaiana, Antônio Martins Bastos Neto; Subcoordenadora de do MTG 4° Região, Eliane Rezes; Coordenador da Coordenadoria Tradicionalista de Uruguaiana, Ricardo Lima; representante da Sociedade Uruguaianense de Medicina Veterinária, Dra. Dirce Verdum; representante do Núcleo da ABCCC Uruguaiana e presidente do Sindicato Rural da Barra do Quarai,  Fábio Ceratti; Diretor da UNIPAMPA, professor João Cleber Theodoro De Andrade; representante da EMATER/RS, João Carlos Battassini; Conselheiro do MTG e presidente da Associação Tradicionalista de Santana Do Livramento, Rui Francisco Rodrigues, os vereadores de Uruguaiana Ronnie Mello e Irani Coelho Fernandes II; de Santana do Livramento, Tatiana Jardim, Carlos Nilo Coelho; de Itaqui, Márcio Palma e Igor Ardais, representantes do Exército, além de lideranças da região da Fronteira Oeste.

Crédito texto: Cristiano Guerra

Crédito fotos/texto: Árima Corletto

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Em Campo

Como sempre, a safra turbina números do emprego em Alegrete

Mesmo com todos os efeitos da pandemia de Covid-19, Alegrete segue apresentando saldo positivo na criação de empregos no ano de 2021. Foi o que apontaram os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgados nesta terça-feira (30). Segundo o Caged, as empresas da cidade admitiram 512 novos funcionários, contra 412 desligamentos, um saldo positivo de 100 vagas.

Fevereiro foi o mês com maior número de admissões, com 287, enquanto no mês de janeiro, foram 225. Os dados do Caged apontam ainda, o setor de indústria como o maior responsável pelo aumento de vagas de emprego no Município. O setor de Serviços e Construção também apresentaram resultados positivos.

Os números de 2021 superam os de 2020, no período em que não havia pandemia, no qual Alegrete registrou um saldo positivo de apenas 01 vaga.

De acordo com a secretária Caroline Figueiredo, o saldo positivo do CAGED, demonstra que Alegrete está no caminho certo na Retomada da Economia, as empresas estão se conscientizando da importância de se estruturar para melhor atender seus clientes.

“Acreditamos que conforme o número de pessoas imunizadas cresce, o número de pessoas positivadas com a COVID-19 diminui, reduzindo o número de pessoas internadas e consequentemente o número de óbitos, isso acarretará medidas menos restritivas, refletindo positivamente na economia como um todo”, declarou a secretária.

 

Imagem: Linhares

Continue lendo

Em Campo

Produtor doa vaca em leilão para ajudar a Santa Casa. A vaca triplicou de preço

O tradicional leilão semanal das quintas-feiras, da Agenda Remates, teve uma pitada especial. O produtor rural, Joaquim Pedroso, doou uma vaca brangus, dentro da campanha Agro Fraterno.

Esta é uma iniciativa de produtores ruais de Alegrete, que tem por objetivo adquirir três respiradores para a Santa Casa de Caridade.

Durante o leilão, a vaca foi arrematada por R$ 4.500,00. Daí voltou à pista, em nova doação, e foi vendida pelo mesmo valor.

Voltou novamente e foi arrematada e colocada em pista. Na terceira vez conseguiu fechar um faturamento de R$ 13.200,00.

 

Este montante vai servir para a compra dos novos respiradores. Quem quiser se somar à campanha basta fazer um depósito no Sicredi, agência 0523, conta poupança 28.413-3, em nome do Sindicato Rural de Alegrete.

 

 

Continue lendo

Em Campo

Marfrig dá férias coletivas devido a falta de gado e aumento de casos de Covid

A partir da próxima  segunda-feira(1/3) os trabalhadores da planta Frigorífica do Marfrig em Alegrete receberão férias coletivas de 15 dias.
Em entrevista ao programa Página 2, transmitido pelo Jornalista Paulo de Tarso em live do Em Questão, o presidente do Sindicato da Indústria da Alimentação, Marcos Rosse, mostrou preocupação com as férias coletivas. ” O gerente de RH disse que a motivação é a falta de gado para abate e os casos de Covid em setores estratégicos da indústria, cuja mão de obra especializada, não consegue ser substituída de pronto, como balanceiros do abate e serra”.
Os abates, já estão se dando de forma escalonada. Desde a semana passada devido à falta de animais, chegando abater apenas 300 cabeças por dia, sendo que a planta local exige um abate médio de 700. Segundo Rosse, a indústria está com estoque suficiente para atender as demandas no período de férias coletivas.
Em relação, aos carregamentos para contratos de compras com outros países, como os EUA, pode ser abastecido pela planta de Bagé.
Uma inspeção de auditores dos EUA foi transferida para o final de março, o que segundo Rossi é crucial para definir o mercado para China e o futuro dos abates em Alegrete. A sanidade dos animais, o ambiente funcional e dos trabalhadores são fatores determinantes, para que outros países aceitem ou continuem comprando carne do Brasil.
Até esta quarta-feira(24) 21 trabalhadores positivaram para covid-19. Num dos casos, o paciente está entubado na UTI.
 
“Caberá aos trabalhadores, terem consciência de ficar em casa no período de férias, para não contraírem Covid. O acordo de férias coletivas foi homologado na Justiça do Trabalho e abrangerá o máximo possível de trabalhadores, permanecendo ativos apenas os que são responsáveis, pela manutenção” disparou o líder sindical.
 
Continue lendo

Ler edição online

Facebook

Previsão do tempo

 

 

Popular