Contato

Em Campo

Mormo: Laboratório da Hípica de Porto Alegre está habilitado para contra prova

20160617_095620

Sob coordenação do líder da bancada do PP, deputado Frederico Antunes, a Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa realizou nesta sexta-feira (17), em Uruguaiana, audiência pública para debater os desdobramentos sobre as mais recentes medidas anunciadas pela Secretaria Estadual da Agricultura, como a ampliação do prazo de validade do exame negativo para doença do mormo, de 60 para 180 dias, e novas alternativas para aumentar o controle sanitário e emissão de Guias de Transito de Animais (GTA).

O encontro, realizado no Salão de Eventos do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Rio Grande do Sul (SDAERGS), contou com a presença do titular da pasta da Agricultura, secretário Ernani Polo, além de diversas lideranças regionais e representantes de entidades rurais, Centros de Tradições Gaúchas (CTG), Piquetes e Movimento de Tradição Gaúcha(MTG). O secretário explicou que a decisão de aumentar o prazo de validade sobre o mormo em equinos, um ano após o registro do primeiro caso, foi tomado após levantamento feito em conjunto com o Ministério da Agricultura. De junho de 2015 a abril de 2016, dos 180.052 mil animais testados em 489 municípios, 179.944 deram resultado negativo, com 62 casos positivos confirmados, ou 0,034% do total. “Chegamos a esta ampliação após verificarmos a baixa incidência da doença. Nosso objetivo é manter o controle e o monitoramento do mormo, medida que estamos realizando de forma eficaz. Por outro lado, é fundamental que os proprietários realizem exames, inclusive naqueles animais que não foram testados, para que o cerco à doença aumente”, disse.

Já o deputado Frederico Antunes, destacou que a dilatação do prazo de validade do exame é uma medida inteligente, pois alia a preocupação com a sanidade animal com a necessidade de se viabilizar a manutenção de eventos equestres importantes. “De forma alguma, esta medida é um afrouxamento das regras. Pelo contrário, está amplamente embasada em testes e cruzamentos de dados, e trará benefícios a todos”, elogiou o líder do PP.

Outro tema tratado na audiência foi a Instrução Normativa 9/2016, editada pela pasta da Agricultura, que habilita médicos veterinários privados para ajudar a secretaria no controle sanitário e na emissão de Guias de Transito de Animais nos eventos com aglomeração de ruminantes e/ou equinos em que o Serviço Veterinário Oficial (SVO) não puder estar presente.

Conforme Polo, os profissionais fiscalizarão o ingresso de animais nos eventos, cadastrando os mesmos e emitindo as GTAs de saída, certificando-se de que os animais tenham boa sanidade e cuidados relativos ao bem estar animal. A habilitação dos veterinários fica condicionada à capacitação promovida pelo SVO, e terá validade de um ano. “Desta forma poderemos atender presencialmente um maior número de eventos, agilizando as emissões de GTAs, com a devida responsabilidade sanitária e controle da secretaria da agricultura, pecuária e irrigação”, avalia o secretário.

ENCAMINHAMENTOS APRESENTADOS E APROVADOS NA AUDIÊNCIA
Entre as principais sugestões e encaminhamentos apresentados na Audiência Pública, estão:
#Ampliar a divulgação, através das entidades, da Instrução Normativa 009/2016, que habilita médicos veterinários a emitam as GTAs.
#Credenciamento do laboratório da Hípica, em Porto Alegre, para a realização do segundo teste, que caracteriza a contra prova do exame.
#Criação de um Grupo de Trabalho com profissionais e representares do setor, para acompanhar as questões envolvendo a zoonose, junto às autoridades.
#Formação de uma parceria entre a Secretaria da Agricultura, os CTGs e os movimentos tradicionalistas no sentido de controlar a doença e organizar os desfiles farroupilhas. Esses grupos serão organizados por região.
#Buscar diálogo com a Procuradoria Geral do Estado, para estabelecer novos critérios com relação à contestação de decisões judiciais que proíbem o sacrifício de animais supostamente infectados, antes da realização da contra-prova. Segundo técnicos da Secretaria, desta forma seria evitado a perda de equinos que apresentem exames com resultados falso positivo.

 

Participaram também da reunião o prefeito de Uruguaiana, Luiz Augusto Schneider; presidente da Câmara Municipal de Uruguaiana, vereador Adalberto Rosa e Silva; o Diretor da Secretaria da Agricultura, Fernando Groff; presidente do SDAERGS, Lauri Kotz; presidente do Sindicato Rural de Uruguaiana, Antônio Martins Bastos Neto; Subcoordenadora de do MTG 4° Região, Eliane Rezes; Coordenador da Coordenadoria Tradicionalista de Uruguaiana, Ricardo Lima; representante da Sociedade Uruguaianense de Medicina Veterinária, Dra. Dirce Verdum; representante do Núcleo da ABCCC Uruguaiana e presidente do Sindicato Rural da Barra do Quarai,  Fábio Ceratti; Diretor da UNIPAMPA, professor João Cleber Theodoro De Andrade; representante da EMATER/RS, João Carlos Battassini; Conselheiro do MTG e presidente da Associação Tradicionalista de Santana Do Livramento, Rui Francisco Rodrigues, os vereadores de Uruguaiana Ronnie Mello e Irani Coelho Fernandes II; de Santana do Livramento, Tatiana Jardim, Carlos Nilo Coelho; de Itaqui, Márcio Palma e Igor Ardais, representantes do Exército, além de lideranças da região da Fronteira Oeste.

Crédito texto: Cristiano Guerra

Crédito fotos/texto: Árima Corletto

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Em Campo

Fundo Municipal para cuidar das estradas não passou de ilusão

Entidades ligadas ao Setor Primário receberam há alguns meses atrás, a visita de uma comitiva do Executivo Municipal liderada pelo Prefeito Marcio Amaral, seu Vice Jesse Trindade e o secretário de Agricultura e Pecuária, tratando de buscar apoio para a criação de um Fundo Municipal para atender as demandas de estradas rurais, na proposta destinando parte do valor arrecadado com ITR para especificamente cuidar da manutenção das estradas, e dos acessos para escoamento da produção primaria, como já acontece em vários municípios como por exemplo Uruguaiana e Santana do Livramento.

Acontece que a ideia esfriou, ao que parece o motivo foi que com a criação do Fundo, a gestão dos recursos seria de um Conselho Gestor e não diretamente do Executivo, numa nova proposta esta a criação de uma rubrica especifica para atender a demanda, basta saber agora o que pensa o setor que estava eufórico com a possibilidade de finalmente ter recursos destinados exclusivamente para este fim.

“É preciso implorar por atenção, nosso município é agrícola, o maior percentual do PIB vem da atividade primária, o que mais precisamos é estradas em condições para escoar a nossa produção e infelizmente não somos prioridade.” desabafou um produtor em contato com nossa redação.

O vereador Itamar Rodriguez, Líder da Frente Parlamentar em Defesa do Agronegócio, defende a proposta, com o objetivo de oportunizar a todo o interior ações de melhoria das vias, para garantir melhores condições de tráfego. A criação de um Fundo é importantíssimo, as estradas rurais possuem extrema importância econômica, social e ambiental, pois são responsáveis pelo acesso da população rural a serviços básicos como educação, saúde e lazer e pelo escoamento da produção agrícola e, consequentemente, pelo abastecimento das zonas urbanas.

Continue lendo

Em Campo

Pecuaristas podem ter caído em golpe de R$ 30 milhões com a venda de gado

Produtores rurais de pelo menos 10 cidades da Região Central podem ter sido vítimas de um dos maiores golpes da história do agronegócio do país. O prejuízo com a venda de gado para um atravessador, que não pagou pelos animais, ultrapassaria R$ 30 milhões.

Conforme a reportagem do Bei apurou, o negociador de gado, que seria natural de Caçapava do Sul mas morador de Formigueiro, mantinha um esquema de compra e venda de gado suspeito de ser, na verdade, uma fraude. Ele adquiria gado de produtores para pagamento a prazo e venderia os animais a menor preço em arremates para pagamento à vista.

Inicialmente, o sistema estaria funcionando. Porém, com o passar do tempo, os prazos para pagamento do gado foram vencendo e a bola de neve foi aumentando. A história foi contada pelas próprias vítimas à reportagem do Bei na tarde de ontem. A Polícia Civil investiga as mais de 10 denúncias feitas contra o suspeito, que está desaparecido e não atende ligações nem responde mensagens no WhatsApp.

Ainda muito abalado, um produtor de 45 anos diz ter sofrido prejuízo de R$ 4,5 milhões. A vítima diz que ainda não acredita no que está acontecendo. Há quase 30 anos trabalhando no ramo, ele conta que o negociador era considerado como um amigo e que negociava gado e frequentava a casa da vítima há mais de dois anos.

Após vários bons negócios, a vítima negociou 542 cabeças de gado com o suspeito. Dessas, 342 novilhas estavam prenhas. O negociador têm até este domingo para pagar, mas o produtor teme não receber.

– Eu não tinha o que falar dele. Em questão de 15 dias, ele fez a minha vida dar um giro de 360 graus. Fui na delegacia e tinham seis pessoas lá registrando ocorrência do mesmo caso. Eu estou sem chão. Não tenho força para nada – revela.

Segundo o pecuarista, todos os clientes do atravessador tinham confiança nele. Por isso, o homem obtinha crédito em todas as praças de leilão:

– Eu estou quebrado, não tenho como me levantar. Tenho que fechar as porteiras da fazenda. O que estou sentindo é o pior possível. Ele não levou só o gado, ele levou uma vida inteira de trabalho. Depois de vender para ele, eu comprei muito terneiro e agora tenho que honrar a minha palavra. As pessoas de quem eu comprei não têm nada a ver com o golpe que eu levei.

 

OUTROS ESTADOS
O suspeito já teria vendido muitos animais adquiridos na região para frigoríficos do Mato Grosso e de Goiás. Por isso, as vítimas temem nunca receber o dinheiro pelo gado.

Outro pecuarista, de 70 anos, e o filho contam que perderam R$ 116 mil com a venda de 43 animais. Esse foi o primeiro negócio malfeito pela família ao longo de 70 anos e, também, o primeiro realizado com o atravessador de Formigueiro.

– Tenho esperança de receber, mas é meio difícil. Acho que ele vendeu o gado, recebeu e ficou com o dinheiro – diz o idoso.

As delegacias da Polícia Civil de Formigueiro e Caçapava do Sul confirmam as investigações, mas não revelam detalhes. 

VÍTIMA ESTÁ SUPRESA
Outro produtor rural de Formigueiro admite estar surpreso com as denúncias envolvendo o atravessador, já que negociava havia muito tempo com o suspeito. A vítima ainda não registrou um boletim de ocorrência na delegacia.

– Não se tem o que dizer da família dele. Comecei comprando gado dele e depois passei a vender. Não sei se ele se perdeu com as contas, ou o que aconteceu – revela.

Conforme o pecuarista, todas possíveis vítimas estão tentando entender o que está acontecendo, já que o atravessador sempre pagava corretamente.

– Vou fazer uma ocorrência porque não se sabe o que aconteceu. Ele sempre me pagou certinho, parcelava, mas de uma semana para cá, estourou – conta.

Segundo o produtor, o atravessador pagou com um cheque. Ele só irá retirar a queixa na polícia caso receba o dinheiro.  

Foto: Arquivo Pessoal
Suspeito participaria de remates de animais, mas faria a compra por valores acima do mercado e venderia por menos

AMIZADE COM JOGADOR E NOVO REI DO GADO
O homem suspeito de aplicar o golpe milionário contra produtores de gado da região levaria uma vida simples antes de ingressar no ramo de compra de venda de animais. Morador de Formigueiro, ele teria ingressado na atividade há cerca de dois anos, em cidades como Manoel Viana e São Francisco de Assis. 

O impulso financeiro para poder adquirir animais teria vindo da suposta amizade com um jogador gaúcho que teria ganho muito dinheiro atuando em clubes do Exterior. A participação do atleta ainda é mera especulação, e não se sabe se o suspeito de aplicar golpes usaria o nome do jogador apenas para avalizar seus negócios e conquistar a confiança de produtores rurais.

No começo de 2021, o suspeito, que tem na faixa de 30 anos, teria começado a comprar animais em remates em mais municípios, entre eles Lavras do Sul, Caçapava do Sul, São Sepé, Restinga Sêca, Formigueiro, Júlio de Castilhos e Rosário do Sul. Foi quando a vida pessoal teria começado a mudar. Um morador de Formigueiro conta que a família do homem é simples e honesta. Mas chamou a atenção que o atravessador comprou uma caminhonete nova e passou a demonstrar um padrão de vida mais elevado. Sinais de que os negócios iam bem. 

Há poucos meses, em uma tarde, o suspeito teria comprado uma grande quantidade de gado em Formigueiro. Uma operação logística foi montada para o transporte dos animais, o que chamou a atenção da população.

– Em uma tarde, vi passar oito carretas carregadas na frente de casa – revela o morador, surpreso com a cena incomum para o município. 

COMPRA DE CASA
Não demorou para os produtores começarem a chamá-lo, informalmente, de novo rei do gado gaúcho, em referência ao famoso personagem Bruno Mezenga, interpretado pelo ator Antonio Fagundes na novela O Rei do Gado, da Rede Globo, na década de 1990.

Recentemente, o suposto golpista teria comprado uma casa no valor de mais de R$ 1 milhão em Formigueiro, negócio que não teria sido concretizado devido às desconfianças cada vez maiores em relação ao seu nome. Desaparecido há alguns dias, seu paradeiro é desconhecido. Na região, circula a informação de que o “rei do gado” estaria na Europa.  

Continue lendo

Em Campo

Alguns clientes rurais da RGE deverão fazer recadastramento

Os clientes da RGE que moram em áreas rurais e estão com pendências no seu cadastro, devem fazer o seu recadastramento a partir de hoje (01/06) com a distribuidora para continuarem a usufruir dos benefícios tarifários na conta de energia. A revisão cadastral está prevista pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), na resolução 901/2020.
A medida da Aneel regulamenta a manutenção dos benefícios tarifários concedidos aos consumidores da classe rural, irrigantes e aquicultores, de serviços públicos de água, esgoto e saneamento, e estabelece que a cada três anos seja realizada a revisão para manter o cadastramento atualizado e garantir que os clientes que atendem às exigências recebam os descontos na conta de luz.
O primeiro ciclo de recadastramento dos consumidores das quatro distribuidoras do Grupo CPFL (CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE) começa em 2021. Quem comprovar a atuação no ramo seguirá com os benefícios tarifários. Neste ano, cerca de 52 mil clientes serão avisados sobre a necessidade de atualizar os dados na distribuidora.

Continue lendo

Popular