Órgãos alertam para consumo de carne clandestina em Alegrete

Com a chegada das festas de final de ano, aumenta a  procura por carnes ovinas e suínas. Por outro lado, também aumenta a preocupação dos órgãos que fazem a fiscalização sanitária e inspeção municipal.  Desta forma, as Secretarias de Saúde e Agricultura e Pecuária fazem um alerta a comunidade alegretense com relação ao consumo de carne clandestina. A segurança alimentar é uma preocupação constante do setor de Vigilância Sanitária, com enfoque no consumo seguro de carnes e derivados com procedência e, principalmente que tenham o selo de fiscalização pelo serviço de inspeção municipal.

Os setores fazem algumas recomendações: adquira produto fiscalizado com carimbo da inspeção sanitária, compre em locais que tenham alvará sanitário, os produtos devem estar na temperatura certa e armazenado em embalagem sem violação, também devem possuir características inalteradas, são alguns dos alertas na hora da compra. “ Com esses cuidados estaremos garantindo a qualidade da alimentação da nossa família e evitamos o fomento da clandestinidade e do abigeato”, ressalta a diretora de Saúde, Dileusa Alves.

Os órgãos também orientam que os produtores rurais só podem transportar animais “em pé” para ser abatido, exclusivamente, pelo abatedouro ou frigorífico autorizado. Mesmo portando guia e talão do produtor, não é permitido o transporte de carne para o consumo. “O município também deixa de arrecadar impostos com a prática de comércio direto entre produtor e consumidor. Assim, diminui os recursos para investimento nos serviços básicos como infraestrutura, estradas e saúde”, explica Dileusa Alves.

Relembre: Em 2017 foram deflagradas operações de fiscalização e apreensão de carnes clandestinas pela Polícia Civil e Prefeitura Municipal.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *