Grêmio segura 0 a 0 com o Cruzeiro e disputa a final da Copa do Brasil

Após vitória por 2 a 0 em Belo Horizonte, time gaúcho consegue o empate diante de grande público na Arena e agora enfrenta o Atlético-MG na decisão14925272_1390934640938582_8067186430727515136_n

PRIMEIRO TEMPO

O Cruzeiro começou em cima do Grêmio e teve algumas boas chances, com Robinho e Ariel Cabral, que mandou uma bola na trave. Os gaúchos, porém, tiveram inteligência para segurar o ímpeto dos mineiros e levar o 0 a 0 para o intervalo.14907069_1390945007604212_3007654933497326157_n

DESTAQUE  SEGUNDO TEMPO

 

O tempo foi inimigo do Cruzeiro, que foi tendo mais e mais dificuldades para fazer os gols que precisava. Comandado pelo maestro Douglas, o Grêmio soube segurar o resultado, tocar a bola e administrar o placar agregado de 2 a 0, conquistado semana passada, em Belo Horizonte.

14947766_1390945014270878_5589968075522003808_n

Depois de nove anos, quando decidiu a Libertadores em 2007, o Grêmio está na final de uma grande competição. O Tricolor jogou para o gasto, empatou em 0 a 0 com o Cruzeiro, mas deixou a Arena comemorando na noite desta quarta-feira. Está na decisão da Copa do Brasil e sonha com taça em 2016.

A final será contra o Atlético-MG, que empatou com o Inter em Belo Horizonte, e confirmou a vaga. As partidas serão disputadas em 23 e 30 de novembro. Os mandos de campo serão sorteados na próxima sexta.

14947665_1390933370938709_2081692626683572275_n

Pouca técnica e muitos sustos

Mesmo com placar favorável – pois venceu o confronto da ida por 2 a 0 –, o Grêmio fez um primeiro tempo nervoso e as melhores chances foram do Cruzeiro. O Tricolor jogou como visitante pensando somente no resultado e chegou a levar bola na trave, entre outros sustos. O primeiro chute a gol veio aos 13 minutos. Edimar cruzou na área e Geromel afastou. Mas Robinho dominou na intermediária e chutou forte para boa defesa de Grohe no canto esquerdo.

Três minutos depois, o Grêmio teve sua melhor oportunidade. Douglas abriu grande bola para Luan na esquerda, entre dois marcadores. Luan tocou pelo alto para Marcelo Oliveira e o lateral tentou encobrir o goleiro, mas mandou pela linha de fundo.

Depois disso, a Raposa mandou na partida por vários minutos. Aos 22, Ariel Cabral recebeu na intermediária, bateu colocado e quase matou uns gremistas do coração. A bola estampou o travessão no ângulo direito. No lance seguinte, William tentou o chute de longe, mas desviou em Kannemann para escanteio.

O Tricolor só foi equilibrar as coisas no fim da etapa. E aí, criou mais uma rara oportunidade. Douglas lançou Marcelo Oliveira na área. O lateral tentou um chute colocado com efeito, mas Rafael fez a defesa antes do intervalo.

Tricolor contra-ataca e perde grandes chances

No retorno para o segundo tempo, o Cruzeiro foi logo para o abafa. Aos seis minutos, Alisson recebeu na esquerda, cortou para a área e chutou cruzado. Grohe, como último recurso, tirou de soco para escanteio. Mas a cobrança deu contragolpe para o Grêmio: Luan recebeu na área e serviu Pedro Rocha na marca do pênalti. Era só tirar do goleiro, só que o atacante carimbou Rafael, perdendo a grande chance da partida. No escanteio, Douglas tentou surpreender e quase marcou gol olímpico. A bola resvalou na trave e Rafael tirou em cima da linha.

Mano Menezes lançou Rafael Sobis e Ábila no jogo, apostando tudo no ataque. No seu primeiro lance, Sobis recebeu na meia-lua e chutou colocado para grande defesa de Grohe.

Os comandados de Renato Portaluppi tomaram a clara postura de apostar no contra-ataque. E voltaram a levar perigo aos 18 minutos. Luan recebeu na meia-lua e abriu bola para Ramiro. O volante chegou batendo de primeira e Rafael espalmou para escanteio. Na cobrança, Douglas recebeu de Edilson e cruzou na cabeça de Geromel. O zagueirão torneou no canto esquerdo, mas Rafael fez mais uma grande defesa.

Aos 22 minutos, o Tricolor reclamou muito de pênalti em Ramiro. Seria a jogada para desafogar o nervosismo. Edilson lançou o volante na área e, na hora do chute, ele sofreu uma tesoura de Léo, mas o árbitro mandou seguir.

No fim da partida, Alisson recebeu na esquerda e cruzou na marca do pênalti. Ábila subiu mais que todo mundo e cabeceou forte, mas mandou para fora, com o Grêmio fazendo contagem regressiva para a final. Luan ainda fez o gol da vitória, um golaço por cobertura aos 44 minutos, mas a arbitragem anotou um impedimento duvidoso.

Edimar perdeu a última chance do clube mineiro aos 45. Ele recebeu livre, na risca da área, e chutou forte, mas acertou a barriga de Geromel. Era noite de Grêmio, com o regulamento debaixo do braço. Assim, mais de 50 mil torcedores deixaram a Arena sonhando com o penta da Copa do Brasil, que agora está só a dois jogos de distância.

Copa do Brasil – Semifinal

Grêmio 0

Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro (Jailson), Douglas (Rafael Thyere) e Pedro Rocha (Éverton); Luan. Técnico: Renato Portaluppi.

Cruzeiro 0

Rafael; Lucas Romero, Bruno Rodrigo, Léo e Edimar; Henrique, Rafael Cabral e Robinho (Ábila); De Arrascaeta (Sobis), Alisson e Willian (Alex). Técnico: Mano Menezes.

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Local: Arena do Grêmio

Fonte : Correio do Povo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *